Estremadura reconhece a calçada portuguesa em Badajoz

Calçada Portuguesa foi reconhecida como Património Histórico e Cultural da Estremadura

Comparte el artículo:

Compartir en facebook
Compartir en twitter
Compartir en linkedin
Compartir en whatsapp
Compartir en telegram
Compartir en email

A Estremadura reconhece a calçada portuguesa em Badajoz como Património Histórico e Cultural da região. Desde que foi anunciado este reconhecimento a curiosidade dos espanhóis pela calçada de pedras brancas e negras aumentou. As rochas habitualmente utilizadas são o granito, calcário e o basalto. Atualmente a Praça de Cervantes, que tem a estátua do poeta no centro, está a passar por obras de requalificação.

Esta calçada, que assim passa a ser um bem protegido, data de 1888. Este é o exemplo mais antigo desta arte tipicamente portuguesa em Espanha. A calçada portuguesa de Badajoz pode ser visitada na Praça de Cervantes e tem chamado a atenção para os outros trabalhos que os calceteiros de Gáfete (concelho do Crato) tem espalhados pela vizinhança estremenha, especialmente entre Badajoz e Olivença. Os calceteiros de Gáfete começaram esta tradição que vem passando de geração em geração no século XIX. Em Espanha também existem exemplos de calçada portuguesa na Avenida de Portugal (em Madrid).

Calçada portuguesa, património nacional

A calçada portuguesa é usada na pavimentação de passeios, espaços públicos e privados de inúmeras cidades lusófonas. Este revestimento, que é semelhante aos mosaicos romanos, é criado por mestres calceteiros que criam a calçada que saiu de Lisboa para outras zonas como sinal de bom gosto e estilo. Para além de Portugal, Espanha e do Brasil também existem exemplos deste marco da cultura portuguesa em Gibraltar, Macau e em Timor-Leste. A inscrição da cultura portuguesa como património imaterial nacional é o primeiro passo para um futuro reconhecimento pela UNESCO.

Noticias Relacionadas