Nem Milão, nem Madrid ultrapassam os preços da habitação na capital portuguesa

O sul da Europa tem assistido a um aumento do preço das casas

Comparte el artículo:

O ano de 2022 terminou com um aumento recorde do preço das casas em Portugal, Espanha e na Itália. Isto segundo um estudo feito pelo portal imobiliário Idealista. Este estudo analisou os preços das casas em Lisboa, Porto, Madrid, Barcelona, Roma e Milão. Desta lista, Barcelona e Roma são as cidades onde sai mais em conta a compra de casas. Em apenas um ano, o preço das casas em Portugal subiu em 20 mil euros nas contas finais.

Em 2022 foram vendidas quase 168 mil casas, o que levou a uma faturação de 32 milhões de euros. Nos últimos 10 anos, o setor da habitação viu os preços dispararem quase 75%, sempre acima da inflação. Por comparação com há 10 anos, são vendidas quase o triplo das casas por mais do dobro do preço. Lisboa é a cidade do sul europeu com as casas mais caras. É mais caro comprar casa na capital portuguesa do que em Milão ou em Madrid.

Em Lisboa, o metro quadrado já ultrapassa os 5.000 euros. Logo, em média, uma casa em Lisboa pode custar 5.178 euros/m2. A justificação para estes aumentos é a “baixa oferta de habitações para a alta procura que se faz sentir”. Apesar destes novos máximos no preço, no mercado residencial de Espanha, Itália e Portugal a subida dos preços tem sido moderada, comparando com outros países do centro e norte da Europa.

Já em Madrid, em fevereiro, uma habitação custou 3.995 euros/m2. No Porto, uma casa é um pouco mais barata do que em Madrid. Na Invicta custa 3.276 euros/m2. Entretanto, estes valores caíram ligeiramente.

Noticias Relacionadas

Iberia en datos

Los principales indicadores sobre la realidad de la península ibérica e islas son fundamentales para entender, analizar y valorar las posibilidades de las relaciones entre