Augusto Santos Silva exige explicações a Espanha sobre testes Covid na Raia: «Só pode ser equívoco»

Esta nova regra não é aplicável pelas populações raianas que vivem até 30 quilómetros da fronteira

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Em declarações à Renascença, o ministro dos negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, diz sobre testes de Covid na Raia: “Pedimos esclarecimentos às autoridades espanholas, aos diferentes níveis político-diplomáticos, começando aliás pelo meu nível. Esperemos esses esclarecimentos tão brevemente quanto possível por aquilo que só pode ser um equívoco ou um erro. Na ausência desses esclarecimentos teríamos de tomar medidas recíprocas”. Dos contactos que já fez, o ministro afirma que formou uma “convicção muito forte” que se trata de um erro da Direção Geral da Saúde de Espanha.

Portugueses terão que apresentar comprovativo

Quem quiser entrar em Espanha, tal como já acontecia com as viagens aéreas e de navio, por via terrestre terá que apresentar um documento que comprove que o turista já tenha sido vacinado, recuperado da doença ou tenha feito um teste negativo à covid-19 (feito 48 horas antes da partida). Este comprovativo pode ser pedido a qualquer momento pelas autoridades espanholas aos maiores de 6 anos de idade que passem a fronteira. O viajante terá que preencher um formulário de controlo de saúde, disponível em Spain Travel Health, antes da partida, que irá gerar um código QR individual.

Esta medida foi imposta, isto depois do anúncio britânico, pois Portugal passou a integrar a “lista de países ou áreas de risco” do governo espanhol. Quem não tiver esta prova, que para além do espanhol pode também ser apresentada em francês, inglês ou alemão, arrisca-se a pagar uma multa mínima de 3 mil euros. Tal pedido não é feito para quem viaje de Espanha por Portugal e pode ter efeitos no verão, retendo muitos espanhóis que queiram visitar o país. 80% dos espanhóis que entram em Portugal fazem-no de carro. Até agora a passagem da fronteira terrestre era feita sem qualquer controlo.

Esta nova regra não é aplicável pelos motoristas internacionais, os trabalhadores transfronteiriços e pelas populações que vivem até 30 quilómetros da fronteira. Esta medida já estava em prática na fronteira hispano-francesa. O certificado digital europeu, criado para facilitar o turismo e a mobilidade na Europa, entrará em vigor no continente a 1 de Julho.

Noticias Relacionadas

Deja un comentario