Con el patrocinio de:

Palácio de Palhavã recebeu debate sobre o futuro da mobilidade ibérica

Feira de mobilidade vai acontecer em Madrid e juntar especialistas e decisores mundiais

Comparte el artículo:

Compartir en facebook
Compartir en twitter
Compartir en linkedin
Compartir en whatsapp
Compartir en telegram
Compartir en email

O Palácio de Palhavã, residência oficial da embaixadora espanhola em Portugal, recebeu a apresentação do Global Mobility Call. Esta feira, que vai acontecer no recinto do IFEMA Madrid de 14 a 16 de Junho, pretende abordar as estratégias comuns a seguir para a mobilidade sustentável. A organização espera que neste evento participem 7 mil visitantes e 150 startups e investidores que vão assistir a 100 conferências.

Atualmente a Europa está a redefinir a sua mobilidade e para tal o pacote Next Generation EU tem 750 mil milhões de euros. Em 2040, 5% do PIB será alcançado através de formas de locomoção sustentáveis. Para Eduardo López-Puertas, diretor geral da IFEMA, este tipo de mobilidade «é a coluna vertebral para muitos setores e um dos conceitos centrais da comunidade atual». O Global Mobility Call pretende que o público e as empresas não sejam meros utilizadores mas indiquem o caminho a seguir na sociedade do futuro.

Juan Francisco Montalban, conselheiro da embaixada, defende a necessidade de «colocar a Península Ibérica no lugar certo neste novo futuro que está a chegar e traz inúmeras oportunidades». As indústrias automóveis instaladas em território ibérico, as ligações ferroviárias e as reservas de lítio são vistas como primordiais para realizar uma mudança geral e ambiciosa na mobilidade. O digital é fundamental nesta transição energética mas a sociedade atual é cada vez mais tecnológica.

Especialistas debateram os desafios que uma nova mobilidade trazem

Na residência oficial, após a apresentação do evento, houve uma mesa de debate que reuniu inúmeros especialistas e empresários. Sofia Tenreiro, investigadora e especialista em energia, lembrou que «precisamos de ser cada vez mais verdes, com uma pegada cada vez menor e que permita um mundo mais sustentável». A investigadora também apontou que é necessário acelerar para ter as capacidades necessárias para em 2030 conseguirmos alcançar as metas às quais nos propusemos.

O setor dos transportes é o responsável por um quarto dos gases de efeito de estufa. António Pires de Lima, Ceo da Brisa, referiu que «sem abdicar da mobilidade devemos fazer um caminho mais sustentável». A Brisa, que através da Via Verde Eletric está a montar carregadores elétricos nas áreas de serviço, pretende ser carbono free até 2045. Um maior investimento vai trazer uma maior sustentabilidade. «As alterações climáticas são muito visíveis e há um sentido de urgência nesta mudança», disse.

Em relação aos carros elétricos, António Oliveira Martins, da LeasePlan, defendeu que este tipo de veiculo traz desafios muito próprios. Todos os participantes acreditam que no futuro os carros elétricos ou os veículos autónomos não serão os únicos a circular. «Não é nos novos carros a diesel que está o problema. Este está nos carros mais velhos», referiu o representante da empresa de aluguer de carros.

Cidades mais inteligentes são mais amigas dos cidadãos

«Os maiores inimigos da mobilidade são os governantes, os autarcas», disse Carlos Barbosa do ACP. O presidente do Automóvel Clube Português pediu uma maior regulação das bicicletas e trotinetas elétricas que existem em Lisboa. O parque automóvel português tem uma média de 13 anos. O setor automóvel representa 36% dos impostos que o estado português recebe anualmente. A nova agenda da mobilidade europeia dá uma nova importância aos transportes públicos mas os presentes na mesa de debate lembraram que no futuro as grandes cidades terão um dia-a-dia elétrico.

O futuro vai levar a que as cidades sejam redesenhadas para oferecer uma maior qualidade de vida. Uma maior mobilidade está associada a felicidade que sentimos. No Porto, incluído no pacote de medidas criadas na luta contra a Covid-19, foi criado um projeto que permite transportar cidadãos seniores por metade do preço. Em Londres existe uma aplicação, de origem portuguesa, que dá para programar os transportes públicos que vamos usar no nosso percurso e o custo dos mesmos. Um dos grandes desafios que a mobilidade sustentável traz é juntar o prático ao apelativo.   

A Global Mobility Call vai acontecer no IFEMA Madrid de 14 a 16 de Junho deste ano.

Noticias Relacionadas

Aranjuez, um paraíso real e monumental

O Real Sitio e Vila de Aranjuez é um dos lugares reais da monarquia espanhola mais interessantes para visitar na Comunidade de Madrid: reúne monumentos,