O festival de música MIL dá um novo palco aos artistas em ascensão

A música independente volta a estar ao vivo no Hub Criativo do Beato

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

O festival MIL (Lisbon Internacional Music Network), que se inicia no Hub Criativo do Beato, em Lisboa, até sexta-feira, vai receber nesta volta aos eventos presidenciais (após uma edição com restrições devido a pandemia) 50 concertos, uma convenção e duas residências artísticas. A convenção vai apresentar uma reflexão crítica sobre a transformação digital e a necessidade de preservar a música ao vivo que é cada vez mais colocada em causa.

Pelo palco do MIL vai passar a artista luso-angolana Carla Prata; YNDI, compositora franco-brasileira; a promessa da cena urbana espanhola Queralt Lahoz (que cruza o rap, flamenco, R&B e a copla); o músico português que esteve na última edição do Festival da Canção, EU.CLIDES; Fado Bicha; Tristany ou os Rosin de Palo. A programação do MIL é composta maioritariamente por músicos portugueses e europeus e os concertos vão acontecer em cinco palcos das 18 às 24:30.

Em relação às residências artísticas, a primeira é desenvolvida em parceria com o Instituto Ramon Llull e juntará as espanholas Tarta Relena e os portugueses Lavoisier. Já a segunda residência será feita em parceria com o Liveurope e convida a criação o produtor Pedro da Linha e o músico de flamenco Álvaro Romero (RomeroMartin). Estas duas residências vão dar origem a espectáculos que vão ser apresentados neste festival.

O festival MIL apresenta e promove a nível internacional os jovens artistas em ascensão na música feita em português. Este festival pretende ser uma ponte entre Portugal, a Europa e o resto do mundo.

Noticias Relacionadas