População de Bragança só tem acesso a rede móvel espanhola

Fraca rede junto a fronteira com Espanha não permite os contatos de emergência

Comparte el artículo:

Compartir en facebook
Compartir en twitter
Compartir en linkedin
Compartir en whatsapp
Compartir en telegram
Compartir en email

Parte da população de Bragança só tem acesso a rede móvel espanhola, o que não permite que se ligue para o 112. Em Guadramil e na Petisqueira «não existe disponibilidade de cobertura de rede móvel» oferecida pelas redes portuguesas. A falta de cobertura de rede também é sentida na zona industrial de Moz, o que fez com que várias empresas que precisam deste serviço fossem para outros locais.

Esta falta de cobertura, sentida em duas aldeias, foi avançada por um estudo feito pela Anacom. Este problema acontece na zona da fronteira, onde as populações só conseguem ter acesso a chamadas e a internet através das redes espanholas. Nesta região o roaming internacional não tem custos acrescidos para o consumidor português. Para o presidente da Anacom, este problema poderia ser resolvido através de um roaming nacional onde houvesse uma partilha de antenas entre as diferentes operadoras. Algo que pode acontecer num futuro próximo.

Este problema tem sido alertado pelo município de Bragança mas segundo o presidente, Hernâni Dias, isto acontece porque as operadoras não vêm ganhos económicos no reforço das redes móveis nas zonas de campo junto a fronteira. Uma maior concorrência pode ajudar na melhoria do serviço.

«É muito difícil que as operadoras venham fazer esse trabalho nos meios rurais porque provavelmente não lhes compensa sob o ponto de vista financeiro o investimento que têm que fazer, logo, não fazem esse trabalho e daí o prejuízo que temos hoje nas nossas comunidades rurais», afirmou o autarca de Bragança aos meios de comunicação.

Noticias Relacionadas