Próxima Cimeira Ibérica vai se realizar em Trujillo (Extremadura) a 28 de Outubro

Primeira reunião entre os chefes da diplomacia ibérica demonstra a relação excepcional existente

Comparte el artículo:

Compartir en facebook
Compartir en twitter
Compartir en linkedin
Compartir en whatsapp
Compartir en telegram
Compartir en email

O novo ministro dos Negócios Estrangeiros espanhol, José Manuel Albares (antigo embaixador em França), realizou a sua primeira visita oficial a Portugal. No encontro que teve com o seu homólogo português, Augusto Santos Silva, no Palácio das Necessidades, os dois responsáveis pela diplomacia ibérica abordaram temáticas diferenciadas como a próxima Cimeira luso-espanhola e a coordenação bilateral na luta contra a Covid-19, o desenvolvimento e a recuperação económica. A busca por complementaridades e sinergias para sair da crise foram dois pontos de convergência que saíram da reunião.

Sobre a gestão da pandemia, e em especial no que toca a fronteira, que na circulação terrestre funciona como se fosse um só país pois não exige qualquer tipo de teste, o ministro dos Negócios Estrangeiros português relembrou na conferência de imprensa que este «trabalho é feito quase numa base diária para que tudo corra bem». Também sobre a pandemia, o ministro dos Negócios Estrangeiros espanhol, José Manuel Albares, lembrou que Portugal e Espanha têm uma taxa de vacinação que ronda os 60%. «Este é o desafio da nossa geração», contou o responsável pela diplomacia espanhola que acredita que os sacrifícios feitos pela sociedade Ibérica nos últimos meses estão a dar frutos. Os dois ministros afirmaram que a situação epidemiológica está a melhor e como tal é seguro e aconselhável passar férias na península Ibérica.

Cimeira Ibérica em Trujillo

A reunião entre os dois ministros dos Negócios Estrangeiros ibéricos serviu para começar a preparar a próxima Cimeira luso-espanhola, que este ano vai decorrer a 28 de Outubro na cidade extremenha de Trujillo. A agenda para esta Cimeira ainda não está fechada mas a ferrovia, que para além de ser uma aposta europeia para o futuro também o é para os dois países que estão a modernizar as suas linhas, muito provavelmente será um dos temas que serão discutidos em Trujillo. «A ferrovia é mesmo o futuro das ligações, designadamente das ligações de curta e média duração», sublinhou o ministro dos Negócios Estrangeiros português.

Em Setembro, os dois governos vão reunir o Mecanismo de Acompanhamento da Cimeira Ibérica para analisar como estão a ser implementadas as decisões saídas da Cimeira da Guarda. Após um um encontro ao mais alto nível de uma hora no Palácio das Necessidades, os dois ministros compareceram perante os jornalistas para a primeira conferência de imprensa de ambos após chegarem da América Latina (Perú e Brasil).

Albares e Santos Silva discutiram a Secretaria-Geral Iberoamericana ao almoço

Nesta conversa bilingue com a imprensa, e que contou com a presença do EL TRAPEZIO, os dois governantes reforçaram a relação excepcional que os dois países ibéricos têm a todos os níveis e das atitudes comuns que tomam em diversos aspectos europeus e Ibero-americanos. «Portugal e Espanha têm muito em comum já que para além de serem europeus também são Ibero-americanos», disse Albares que ao almoço discutiu com Santos Silva especialmente assuntos internacionais mas também debateram nomes para a Secretaria-Geral Ibero-americana, que ficou vaga com a saída de Rebeca Grynspan para as Nações Unidas. Continuar a impulsionar acordos com o Chile, México e o Mercosul são o objectivo da política ibérica para a América Latina. A situação dramática na Venezuela e o que está a passar em Cabo Delgado (em Moçambique), onde Portugal e Espanha fazem parte da missão de treino enviada pela União Europeia, também foram pontos abordados nesta reunião.

Augusto Santos Silva aproveitou a oportunidade para agradecer o apoio que o governo espanhol prestou a presidência portuguesa da União Europeia que terminou em Junho. Já José Manuel Albares relembrou que a vez de Espanha presidir aos destinos europeus acontecerá no segundo semestre de 2023 e que irão seguir a linha iniciada por Portugal com os pilares sociais que estão descritos na Declaração do Porto.

Noticias Relacionadas