Situação epidemiológica na península Ibérica é vista de forma diferenciada por França e Reino Unido

Se o secretário de Estado francês não aconselha viagens ao território ibérico, o Reino Unido levanta a quarentena aos vacinados da lista âmbar

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Devido a situação epidemiológica na península Ibérica e com Portugal a enfrentar já uma quarta vaga, o secretário de Estado francês para os Assuntos Europeus, Clement Beaune, recomendou que não fossem feitas viagens de férias nem para o território luso nem para Espanha (especialmente a Catalunha) já que a situação da covid-19 é «preocupante» e podem mesmo ser tomadas medidas mais restritas nos próximos dias, como referiu ao canal de televisão francês France 2.

O pedido para ficar em França neste verão ou escolher outros países para viajar é visto pelo ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, como compreensível mas relembrou que o certificado digital europeu (que em Portugal, nas áreas de maior risco, pode ser usado para ir a um restaurante) foi criado para se poder viajar de forma segura. Santos Silva também lembrou que as viagens dos emigrantes são essenciais e muitos preparam as malas para passar o Agosto, depois de mais de um ano, nas terras de origem.

Vacinados oriundos dos países da lista âmbar já não têm que fazer quarentena

Portugal e Espanha são dois dos países que fazem parte da lista âmbar (ou amarela) do Reino Unido. Os viajantes oriundos destas nações que apresentem a vacinação completa já não terão que fazer quarentena. Esta medida, anunciada no Twitter, é considerada como o próximo passo para a reabertura total das viagens internacionais. Mesmo com a vacinação completa, é necessário passar 14 dias após a segunda toma, continuará a ser necessário fazer dois testes PCR, um na partida e outro na chegada.

A Alemanha também retirou, há algumas semanas, Portugal da lista de países com interdição de entrada no país devido a alta prevalência da estirpe Delta do vírus covid-19.

Noticias Relacionadas

Deja un comentario