Espanhol Português

O Consórcio da Zona Franca de Barcelona deu o primeiro passo para a futura criação de um Conselho da Mulher, que vai operar como um organismo consultivo para as diferentes políticas de igualdade que estão a ser levadas a cabo na Zona Franca. Este conselho pretende dar maior visibilidade ao colectivo feminino no âmbito industrial, favorecer a perspectiva do género e a equiparação dos direitos.

A iniciativa, que contou com o apoio e participação activa das directorias de destacadas empresas instaladas na Zona Franca, é a primeira realizada num âmbito industrial e visa reunir o máximo de empresas e de pessoas da região que compartilhem deste interesse mútuo.

O Consórcio da Zona Franca de Barcelona colocou o foco corporativo na inovação e na sustentabilidade de que fazem parte os Objectivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 das Nações Unidas. É com a perspectiva de avançar no número 5 da ODS, que se refere a igualdade de género, que as pessoas da área da Zona Franca foram convocadas para apoiarem uma maior visibilidade das mulheres no campo industrial.

Esta iniciativa, que foi apresentada por o grupo de trabalho que posteriormente fará parte do futuro Conselho de Mulheres da Zona Franca, contou com a presença de Blanca Sorigué, directora-geral da CZFB; Montse Pallarés, presidente do COCEMFE; Íngrid Buera, directora de negócios da Mercabarna; Sandra Carbonell, chefe de gerenciamento de talentos e desenvolvimento de liderança da Cellnex Telecom; Silvia Guerra, directora de Controle de Qualidade, Segurança e Meio Ambiente da Quimidroga; Gemma Nespral, directora de recursos humanos da Nissan Ibérica; Mónica Costa, directora de comunicação do Covestro; Ana Romero, Chefe do Serviço de Sustentabilidade e Educação Ambiental da AMB (Área Metropolitana de Barcelona) e Carmen Macías, directora do Bon Govern de TMB (Transporte Metropolitano de Barcelona).

O delegado especial do Estado no Consórcio da Zona Franca de Barcelona, Pere Navarro, iniciou a sua intervenção explicando que “a nossa entidade colocou um foco estratégico nos Objectivos do Desenvolvimento Sustentável, na Responsabilidade Social e na Inovação. A reunião de hoje supõe o início de uma dinâmica colaborativa no quadro do Objectivo do Desenvolvimento Sustentável e que tem no ponto número 5, a igualdade de género”.

Pere Navarro reforçou que “este encontro pretende dar o primeiro passo para a construção de um grupo de trabalho que fomente uma maior perspectiva de género que se oriente por uma realidade de igualdade”.

Por sua vez, a directora-geral do CZFB, Blanca Sorigué, recordou que “no ano passado lançamos a campanha #jotambésocfranca, para dar uma maior visibilidade às mulheres que trabalham no polígono industrial da Zona Franca de Barcelona e este ano havemos querido dar um passo mais no avanço de uma maior igualdade de oportunidades independentemente do género”.

Blanca Sorigué também referiu que “é evidente que os lugares de direcção têm que se conseguir por um conjunto de qualidades, capacidades, exercício, formação ou habilidades e não por uma questão de género. Os factores de êxito de qualquer profissão estão na liderança e na compreensão do panorama geral e na capacidade de análise e decisão mas nunca tem que residir no facto de se ser homem ou mulher. Todavia, existem menos mulheres em cargos de direcção do que homens, o que faz que a acção que tomamos hoje com o Consórcio da Zona Franca de Barcelona seja importantíssima”.

Todas as participantes deste primeiro encontro apontaram a necessidade de que se façam mais estudos para conhecer a realidade laboral da mulher nesta área, e que se facilite a presença feminina entre os profissionais industriais. Também se defende o impulsionamento de medidas que favoreçam a conciliação familiar. Também se apontou a idoneidade da área produtiva da Zona Franca para que esta aumente os seus espaços de colaboração e socialização para o favorecimento de uma rede de colaboração mais forte.