Español Português

A Península Ibérica é o destino transnacional mais visitado do mundo, com 100 milhões de viajantes anuais, um potencial que quer ser aproveitado pela Extremadura e pelas regiões portuguesas do Alentejo e centro com a formação de uma oferta conjunta, para a qual os primeiros passos já foram dados.

Este foi destacado pelo Director Geral de Turismo da Junta de Extremadura, Francisco Martín, durante a abertura da 30ª edição da Feira Hispano Portuguesa (Fehispor). A organização do Fehispor envolve o Governo de Extremadura, a Câmara de Comércio de Badajoz e a euroregião EUROACE, o agrupamento das regiões de Alentejo e Centro (Portugal) e Extremadura (Espanha).

I Mostra de Turismo hispano-lusa

Uma edição muito especial em que foi apresentada a Exposição Histórica de Turismo, com um passeio pelos destinos turísticos mais frequentados pelo público espanhol e português, com estandes institucionais que divulgam as ações de cooperação transfronteiriça como Euroace. Alqueva ou o Programa Interreg España-Portugal (POCTEP),que promove projetos de cooperação transfronteiriça com o apoio da União Europeia.

Dois países, um destino

O Gabinete de Iniciativas Transfronteiriças-EUROACE desenvolveu várias atividades nesta feira, como a exposição “História do Fado. Património Mundial”, dirigiu degustações de óleos e queijos de denominações de origem desta euroregião e um encontro de estudantes de escolas secundárias que participam no projeto “Jovens Jornalistas da EUROACE”.

Responsáveis pelas administrações públicas e empresas reúnem-se neste fórum, no qual concordaram em salientar que ainda há muito a fazer nesta estratégia conjunta.

Montaña Hernández, diretora do Gabinete de Iniciativas Transfronteiriças do Conselho de Administração, explicou que a possibilidade de viajar para a Península e conhecer dois países diferentes e duas culturas é uma questão que o viajante internacional leva em conta e, portanto, oportunidade para a Extremadura, Alentejo e Centro.

Uma oportunidade que não havia sido aproveitada há anos, mas que já é impulsionada de muitas áreas, desde o esforço feito da Euroregião “Euroace” a projetos de pequenas empresas, como o de uma startup da Extrema duran que oferece este destino conjunto para grupos como idosos e millennials.

Coisas para fazer

O chefe da rede de apartamentos rurais Turnat, Eugenio Rodríguez, que mostra em Badajoz uma oferta conjunta de sua empresa com Oleosetin e Barco del Tajo, também sabe o que é aproveitar este destino turístico conjunto, embora ele acredita que um maior impulso do três territórios ainda é “um assunto pendente”. “Vários projetos já estão sendo desenvolvidos no momento, e essa linha precisa ser aprimorada”, disse.

O Director-Geral do Turismo recordou, a este respeito, o potencial ambiental e gastronómico oferecido pela Extremadura-Alentejo-Centro, sem esquecer o património: “esta euroregião tem mais de 20 destinos da UNESCO, o mesmo que o Brasil tem”, sublinhou.

O presidente do Comissao de Coordenacao e Desenvolvimento Regional do Alentejo, Roberto Pereira Grilo, acrescentou nesta linha que entre as iniciativas da “Euroace” está a promoção da euroregião no exterior. O turismo, juntamente com outros sectores, como as energias renováveis, a gastronomia e a agroindústria, é, portanto, um dos pilares em que estes três territórios fronteiriços devem estar baseados no crescimento, acordaram autoridades e empresários.