Augusto Santos Silva: “Nós não gostámos que a decisão de impor uma quarentena a cidadãos estrangeiros não tenha sido previamente comunicada a Portugal”

Portugal não decretou uma medida recíproca, ao contrário da França

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

O Governo espanhol decidiu unilateralmente que, a partir do dia 15 de Maio, todos os viajantes internacionais que cheguem a Espanha deverão fazer uma quarentena de 14 dias desde a sua chegada ao país e durante essas duas semanas, as pessoas procedentes de outros países deverão permanecer no seu domicílio ou no alojamento que escolheram. França, em resposta, decidiu uma medida equivalente aos espanhóis. Portugal não se somou a esta actitude francesa mas demonstrou o seu desagrado.

O Governo português não gostou de ver Espanha impor uma quarentena a cidadãos ibéricos sem um contacto prévio, diz o chefe da diplomacia portuguesa. Augusto Santos Silva lamente a decisão unilateral.

“Nós não gostámos que a decisão de impor uma quarentena [a cidadãos estrangeiros] não tenha sido previamente comunicada a Portugal. Nem nós nem a França, dois países que fazem fronteira terrestre com Espanha, se esquecermos Andorra”, afirmou o ministro no podcast socialista “Política com Palavra”, na quarta-feira à noite.

“Salvo esse percalço, a coordenação tem sido perfeita e estamos a trabalhar com Espanha e com França para assegurar aquele que é o nosso objetivo essencial: além do trânsito de mercadorias e dos residentes, assegurar que os emigrantes portugueses que não são residentes em Portugal, mas que querem vir de férias, têm corredores de passagem em Espanha”, sublinhou.

Minuto 22.

Noticias Relacionadas

Como chegámos a uma «Tempestade Perfeita»?

O que é uma «Tempestade Perfeita»? Normalmente quando utilizamos esta expressão estamos a descrever um fenómeno meteorológico que foi criado graças a confluência de vários

Deixe um comentário