Espanhol Português

Oito limões de dois metros de altura e 330 quilos de peso está a decorar estes dias as ruas do centro de Madrid. Encheram de cor e vida uma parte da rua Serrano, entre a Plaza de la Independencia e a rua Ayala. È uma exposição itinerante, Lemon Art, onde oito artistas plasmaram a sua visão pessoal sobre este fruto. É uma ação que faz parte da campanha de informação Welcome to the Lemon Age, financiada com ajuda da UE. As obras vão percorrer algumas cidades europeias ao longo dos próximos meses para se converter na montra do limão.

“Eu sou uma apaixonada do limão. Bebo dois ou três em sumo todos os dias”, conta ao TRAPÉZIO Linda de Sousa, a artista portuguesa que participou no projeto. Chegou a Espanha há 50 anos e faz parte do Grupo pro Arte e Cultura, integrado por mais de 600 artistas do mundo todo presidido pelo pintor Pedro Sandoval, ganhador, duas vezes, da Bienal de Florença- O grupo foi fundado por Mayte Spínola, e Linda é uma das suas coordenadoras. Nesta ocasião, esteve a ajudar na criação do grupo de artistas que pintaram os limões. “A exposição vai passar por Paris e Berlin e era importante ter um artista francês e um alemão”, explica. Cada obra foi realizada por um artista e tem uma temática diferente:  Mario Villarroel ‘Villasierra’ (Um mondo saudável), Linda de Sousa (Líderes em exportação), Rosa Gallego (Desconstrução geométrica do limão), Manuela Picó (A joia da agricultura), Amparo Alegría (Vamos fazer sustentável o meio ambiente), Mayte Spínola (Coração mediterrâneo), a alemã Elizabeth Junghans  (The lemon connection) e o francês Joseph Antoine Zaragoza (A revolução do limão). A artista alemã não conseguiu estar presente e foi um outro pintor quem fez o limão a seguir as suas indicações.

Com a temática da exportação, Linda de Sousa decorou o seu limão “com os clássicos símbolos dos povos”. Uma bandeira espanhol, o escudo de Múrcia, que “tem muito valor para os murcianos”, a bandeira da UE e as bandeiras de França e Alemanha. “Múrcia é líder em exportação dos limões, setor que da trabalho direto a 20.000 pessoas e França e Alemanha são os principais importadores”, conta a artista. Lembra que esta campanha tem como objetivo “conseguir que as pessoas possam refletir sobre as bondades do limão e o bem que fazem à saúde. É uma fonte de vitaminas, antioxidante e sobe as nossas defesas”, acrescenta.

Esta exposição de arte urbana vai viajar na próxima semana a Múrcia e depois a Málaga, Valencia, Sitges, Berlin y Paris. Tal e como lembra Mayte Spínola, “vamos dar a conhecer ao mundo todo que os melhores limões são os que se produzem na bacia do Mediterrâneo. Desenhamos uns limões apetitosos que vão apaixonar aos europeus”.