Español Português

O Presidente do Governo e líder do PSOE, Pedro Sánchez, agirá com “generosidade e responsabilidade” na sua tentativa de formar um executivo “progressista” e “estável”, duas condições que também reivindicou dos outros partidos políticos, que apelou desbloquear o país.

O TRAPEZIO lançou as seguintes perguntas antes da eleição e após a noite da eleição, podemos respondê-las:

 

Quem culpará o bloqueio político e quem vai aproveitá-lo?

Foi principalmente Ciudadanos que não quis fazer Pedro Sánchez presidente e que a reviravolta de última hora fez perder seus eleitores de extrema-direita. As três direitas tornam-se duas, mas de maior peso. O desgaste também diminuiu Podemos, mantendo um importante solo eleitoral, e um PSOE que perde três deputados e uma maioria absoluta no Senado. O bloqueio foi capitalizado por VOX (terceira força política) e partidos nacionalistas e regionalistas, alguns novos e de natureza reivindicativa, como Teruel Existe, ou, mais revolucionário separatista, como as CUP.

A mobilização de esquerda contra VOX será mantida?

6 pontos percentuais foram perdidos na afluência às urnas (embora o voto estrangeiro é susceptível de ser reduzido para dois pontos) e uma pérda para a esquerda porque à direita a mobilização estava com VOX.

Que desgaste terá o PSOE e Podemos pela situação na Catalunha?

Não se sabe, mas La Moncloa sabia do risco de novas eleições em face do julgamento do processo independentista.

Que impacto terá Más País, nova força política – entre o PSOE e o Podemos – no sistema eleitoral e na representação da esquerda?

Em termos globais à esquerda, o impacto tem sido mínimo. Um pouco afetou a Podemos em Madrid e Valência.

Como será distribuido o despojo de Ciudadanos, partido em colapso total, entre PSOE, PP e VOX?

Vox e PP distribuíram-se quase igualmente, e talvez algo tenha transferido – juntamente com parte da perda líquida do Podemos – para o PSOE em compensação por menos mobilização do voto de esquerda.

Quantas demissões haverá na noite das eleições?

Nenhuma. No entanto, Albert Rivera anunciou a possibilidade de sua renúncia amanhã ou não concorrer ao próximo congresso do seu Partido.