Español Português

O mercado de dívida pública Português secundário foi financiado desde meados de setembro com juros sobre títulos inferiores aos registados por títulos espanhóis aos 12 meses e aos 2, 15 e 30 anos. Dentro do período de referência, em 10 anos, eles são muito próximos: 0,33 para Portugal e 0,31 para a Espanha.

No entanto, no último leilão de 10 anos de dívida realizada no mercado primário, o tesouro Português pagou 0,264, enquanto o Estado espanhol pagou 0,18. A Espanha regista juros negativos da dívida até ao prazo de 6 anos e Portugal até 5 ano.

O secretário-geral do Partido Socialista e atual primeiro-ministro, António Costa atribuiu este declínio dos juros a que Portugal demostrou ser “um país que paga o que deve.”

“Este ano vamos gastar da dívida pública menos dois mil milhões de euros do que pagávamos há quatro anos. Começámos por ficar com os juros abaixo de Itália e, desde há poucas semanas, já temos os nossos juros abaixo de Espanha. Conseguimos estes resultados, porque recuperámos a credibilidade internacional do país, conseguimos estabilidade política, devolvemos confiança a quem nos emprestou dinheiro, de que nós somos um país de gente de bem, que paga o que deve, que merece respeito e que pode merecer a confiança de toda a gente”, disse António Costa num jantar-comício realizado em Castelo de Paiva, município do norte do distrito de Aveiro.

Em um discurso para centenas de seguidores, o líder Socialista salientou que a tendência de crescimento, acima da média europeia, “continuará nos próximos dois anos.” “A taxa de desemprego está praticamente a metade daquilo que estava há quatro anos. São mais 350 mil novos postos de trabalho criados em termos líquidos no nosso país, a esmagadora maioria dos quais não são contratos a prazo, são contratos sem termo, que dão segurança e perspetivas de futuro a quem arranjou esse posto de trabalho. Conseguimos aumentar o salário mínimo nacional 20%, o rendimento médio das famílias aumentou 9,2%, hoje as famílias vivem melhor e, mesmo assim, as empresas estão a investir e a criar postos de trabalho. Todos em Portugal vivem melhor hoje do que viveram há quatro anos”.

Em termos brutos, a dívida pública portuguesa pesa 121,5% do PIB, enquanto a dívida espanhola representa 97,1, de acordo com os dados do Eurostat em 2018.