Espanhol Português

Um dos sectores que mais está a sofrer com a declaração do estado de emergência do encerramento de todos os negócios não essenciais é o da restauração. O ministro das Finanças Mário Centeno apresentou um conjunto para tentar apoiar este sector, e não só, e António Costa já admitiu que o próximo trimestre será “muito complicado” e que apenas em Junho será possível fazer-se uma contabilização dos efeitos que o Covid-19 teve na população e na economia nacional, que tinha crescido nos dois primeiros meses do ano.

Para que os restaurantes que agora estão fechados continuem a ter rendimentos para enfrentar esta pandemia sem ter que cortar no número de funcionários, foi lançada a iniciativa #atuamesa. Durante este período poderá ser possível adquirir vouchers que servirão como reservas e que poderão ser utilizados num almoço ou jantar a ser apreciado quando as medidas restritivas, e que proíbem aglomerações de pessoas, forem levantadas. Até então, alguns destes estabelecimentos estão a trabalhar com encomendas e a fazer entrega de refeições ao domicílio. As taxas de entrega ao domicílio não estão a ser cobradas.

Esta medida dos vouchers, que está a ser abraçada por inúmeros chefs e restaurantes, pretende apelar a acção em tempos de incerteza. Um dos primeiros chefs a alertar para o problema que os restaurantes estavam a viver foi Ljubomir Stanisic, apresentador do programa “Pesadelo na Cozinha” (TVI). Ljubomir, que tem espaços um pouco por todo o país é e um dos mais conhecidos cozinheiros em solo nacional, fechou os seus estabelecimentos pela primeira vez em 11 anos e admite não saber como pagar ao pessoal mas “o que importa agora são as pessoas”.