Espanhol Português

A data de nascimento de Amália Rodrigues foi sempre tema de discussão, com uns a dizerem que foi a 1 e outros a defenderem o dia 23 de Julho como o verdadeiro, mas a certeza é que caso ainda fosse viva, a rainha do fado teria 100 anos. Um dos maiores nomes da história de Portugal e embaixadora nacional nos quatro continentes, aquela que trazia a portugalidade na voz encontra-se no Panteão Nacional, onde os mais ilustres portugueses repousam pela eternidade.

Vestida de negro e desafiadora dos cânones da época, Amália Rodrigues deu voz aquilo que era Portugal durante um século em que o país viveu quatro décadas amordaçado. A guitarra fazia ouvir-se pelas ruas de Lisboa mas foi com o seu aparecimento que um novo fado (destino) começou a ser escrito pelas palavras de autores como José Carlos Ary dos Santos ou Luís Vaz de Camões. Para além do português, Amália cantou música francesa, americana, espanhola, italiana, mexicana, brasileira e em criolo.

A vendedora de fruta que transformou-se na diva nacional

As ruas de Lisboa, onde vendia fruta, foram o primeiro local que ouviu a voz e timbre notável daquela que se tornou na diva do fado e na artista portuguesa que mais vendeu na história. Amália Rodrigues foi presença assídua nos mais importantes programas de televisão e eventos mundiais, onde não cantava só fado mas também canções tradicionais portuguesas, como é o caso de «Grândola, Vila Morena».

A diva do fado, que chegou a ser conectada com o antigo regime (mas foi alvo da censura do mesmo), emprestou a sua voz a este hino da revolução e depois deu todo o dinheiro alcançado ao Partido Comunista Português. Foi Amália que pela primeira vez cantou a «Canção de Coimbra» fora do meio académico. A mesma foi popularizada em língua francesa, com o nome «Avril au Portugal», pela cantora Yvette Giraud. A fadista também tentou a sua forte como actriz tendo motivado grande interesse das companhias de Hollywood, por onde já tinha passado outra mulher com sangue português, Carmen Miranda.

Para celebrar os 100 anos de Amália Rodrigues, a Câmara Municipal de Lisboa lançou um programa que vai durar um ano e vai terminar com um espectáculo de videomapping no Terreiro do Paço. Para além deste espectáculo de vídeo, do programa de comemorações dos 100 anos de Amália Rodrigues destaca-se um concerto na herdade do Brejão (que era propriedade da diva do fado) ou a Festa do Fado, que vai marcar a abertura das casas de fado após estarem paradas por causa da pandemia.