Espanhol Português

Seguindo o exemplo de outros países, que decidiram agraciar os profissionais da saúde por todo o esforço no combate ao coronavirus, a Assembleia da República aprovou por unanimidade uma proposta apresentada pelo PSD e que pretende dar um prémio de desempenho. Esta será uma recompensa monetária, que será paga em apenas uma tranche, vai corresponder a 50% do salário mensal do profissional que desempenhou funções junto a pessoas suspeitas ou infectadas com Covid-19.

Para além deste prémio, os deputados também decidiram, em plenário, que os trabalhadores do Serviço Nacional de Saúde terão direito a mais férias. Cada 80 horas de trabalho continuo serão transformadas em dias de férias que poderão ser gozados após o diploma em questão ser criado pelo governo.

Profissionais da saúde acreditam que os prémios não compensam os riscos

Nem todos concordam com estes prémios. A Federação Nacional dos Médicos (FNAM) diz que esta medida da Assembleia «não compensa o risco» vivido e que pode deixar a maioria dos médicos fora desta categoria. Na proposta apresentada pelo partido de Rui Rio, os profissionais de saúde para poderem estar aptos a usufruir desta majoração terão que ter praticado a sua actividade durante o estado de emergência e calamidade junto de doentes infectados ou com suspeita de serem portadores do coronavirus. Para a FNAM todos os profissionais, independentemente do local onde exerçam, têm sido indispensáveis na luta contra o SARS-CoV-2.

Desde que a pandemia começou em Portugal, 80% dos profissionais de saúde infectados (o que equivale a 3143) já recuperaram e voltaram aos seus locais de trabalho. A lamentar há a morte de um médico, na casa dos 60 anos e sem patologias associadas.