Um Natal diferente na Península Ibérica

Mesmo com medidas mais ligeiras, o Ano Novo não terá fogo-de-artifício nem campanadas com público

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Com as festas de fim de ano a chegarem e após vários países da Europa terem anunciado como o Natal e o Ano Novo ia decorrer em plena pandemia de Covid-19, Portugal também decidiu apresentar o seu plano de festas, que até dia 18 de Dezembro será revisto e poderá ser alterado caso os números aumentem.

Numa comunicação ao país, António Costa anunciou aos portugueses que lhes ia dar uma prenda no sapatinho e ia diminuir, um pouco, as medidas de restrição impostas em território português.

A primeira das medidas anunciadas é que as fronteiras irão permanecer abertas e não haverá, no Natal (o mesmo não vai acontecer na passagem de ano), proibição de mobilidade entre concelhos, o que vai permitir que várias famílias viajem até às suas terras de origem.

Na mesa de consoada, ao contrário do que vai acontecer no Reino Unido com as suas já famosas bolhas natalícias ou na Bélgica com a imposição de apenas 4 convidados por casa, não haverá imposição de pessoas mas é pedida contenção pois uma boa parte dos contágios acontecem em ambiente familiar. Caso as famílias pretendam celebrar o Natal e o Ano Novo, algo que uma boa parte dos portugueses começava a fazer, em restaurantes podem o fazer já que os restaurantes estarão abertos para servir refeições.

O Ano Novo será mais contido, com uma boa parte das cidades do país a já terem anunciado que não iriam lançar os habituais fogo-de-artifício, mas as pessoas poderão sair para a via pública até às 2 da manhã, período que volta a vigorar a obrigatoriedade de permanência em casa. As autoridades também pedem para que quem decida sair para a rua não vá em grupos com mais de 6 pessoas.

Natal e Ano Novo sem campanadas com público

Em Espanha as diferentes autoridades regionais têm poder de decisão mas o governo de Madrid já pediu para que os espanhóis fiquem em casa.

Durante o período festivo, as únicas viagens permitidas entre comunidades é para ver familiares e pessoas chegadas e os ajuntamentos estão limitados a 10 pessoas (isto não acontece caso uma família tenha mais de 10 habitantes da mesma casa). No caso dos estudantes que voltem a casa, as autoridades de saúde aconselha que o façam com um período de antecedência e que até às festas não contactem com terceiros.

As Campanadas junto a Porta do Sol, em Madrid, costumam marcar a entrada de um novo ano e juntam uma multidão mas este ano acontecerão sem público.

Noticias Relacionadas

Como chegámos a uma «Tempestade Perfeita»?

O que é uma «Tempestade Perfeita»? Normalmente quando utilizamos esta expressão estamos a descrever um fenómeno meteorológico que foi criado graças a confluência de vários

Deixe um comentário