Espanhol Português

O anúncio que a vacina que a gigante farmacêutica Pfizer está a desenvolver com a alemã BioNTech tem um grau de viabilidade superior a 90% está a acalentar as esperanças mundiais e os diversos índices bolsistas registaram ganhos. A companhia de medicamentos, que também é responsável pelo Prozac, acredita que até ao fim do ano consegue produzir 50 milhões de doses e subir para a casa dos biliões já em 2021.

Mesmo ainda sem a autorização especial para poder ser administrada e tal como já fez com a vacina que Oxford está a preparar, a União Europeia prepara a aquisição de 300 milhões de lotes.

Uma futura vacina contra a Covid-19, e da qual ainda não se sabe o período de imunização, deverá chegar primeiro aos Estados Unidos e a Europa e só depois a outros mercados.

Portugal e Espanha a espera de serem «vacinados»

A notícia da viabilidade desta vacina está a ser bem recebida por Portugal e Espanha, que já se encontram na fila da frente para a aquisição.

Graça Freitas, da DGS, demonstrou-se animada e disse mesmo que «Se se vier a verificar que a sua efectividade é da ordem dos 90%, será das melhores vacinas que teremos». A vacina da Pfizer será uma que, graças aos esforços feitos pela União Europeia, chegará a Portugal. Ainda não se sabe das doses mas fala-se em sete milhões de vacinas.

Já Espanha, que deverá ter direito a 20 milhões de doses da vacina da Pfizer, pretende começar a imunizar 10 milhões de pessoas já a partir de Janeiro de 2021. Esta vacina, segundo o ministro da saúde Salvador Illa, será gratuita, muito provavelmente obrigatória e será administrada especialmente a idosos e profissionais de saúde.