Con el patrocinio de:

Instituto Camões e o Banco Santander renovam o protocolo que tinham

Santander é uma das treze empresas promotoras da Língua Portuguesa

Comparte el artículo:

O Instituto Camões e o Banco Santander renovaram o protocolo financeiro que já tinham para apoiar a promoção da língua portuguesa. O Instituto Camões tem por missão propor e executar a política da Cooperação Portuguesa e coordenar as atividades de cooperação desenvolvidas por outras entidades públicas que participem na execução destes objetivos. O protocolo foi assinado assinada pelo presidente do Camões, João Ribeiro de Almeida, e pelo administrador do banco, Miguel Belo de Carvalho.

O Santander foi das primeiras instituições a ser considerada, logo em 2017, uma Empresa Promotora da Língua Portuguesa. São 13 as empresas que contribuem, de alguma forma, para a promoção e difusão da língua de Camões. O português, com os seus 273 milhões de falantes, é a 5.ª língua nativa mais conhecida do mundo. Estas são várias empresas de diferentes áreas de negócio e com modalidades de contribuição.

Segundo o Instituto, «a valorização e a promoção do português, enquanto língua de negócios, estão também ligadas aos processos de internacionalização das empresas, que podem tirar partido da associação das respetivas marcas e produtos ao valor global da língua portuguesa». O apoio financeiro servirá para pagar bolsas de estudo oferecidas para a frequência de cursos superiores lecionados em Portugal e em língua portuguesa.

Durante o último protocolo foram atribuídas 14 bolsas de estudo a pessoas oriundas da Argentina e de Espanha. O Grupo Santander é um dos maiores bancos do mundo e em Portugal são o maior banco privado. A entrada em Portugal deu-se em 1993 com a compra dos bancos Totta, Açores e Crédito Predial Português.

Noticias Relacionadas

Iter ab Emerita Salmanticam

En honor a la verdad, la calzada que construyeron los romanos para vincular Mérida (Emerita Augusta) con el norte peninsular -muy probablemente sobre un camino