As máscaras ibéricas regressam às ruas de Bragança

O festival Mascararte está inserido nas festas do solstício de Inverno

Comparte el artículo:

Compartir en facebook
Compartir en twitter
Compartir en linkedin
Compartir en whatsapp
Compartir en telegram
Compartir en email

As Mascaradas de Inverno da Raia Ibérica estão de volta a Bragança. No festival Mascararte, que vai acontecer de 25 a 27 de Novembro e a 6 de Dezembro, as máscaras ibéricas vão desfilar pelo centro histórico da cidade. Esta iniciativa costuma estar associada a outras festas tradicionais que celebram o solstício de Inverno, que acontece a 21 de Dezembro.

O ponto alto vai juntar centenas de mascarados, nos dois lados da fronteira. Estes vão terminar o desfile na Queima do Mascareto, onde música, dança e os caretos locais vão garantir muita animação. A queima, que vai acontecer às 18 horas de sábado, vai acontecer sob o mote O Conflito dos dois mundos – Bem e Mal.

Exposições, concertos e lançamentos de livros marcam a programação

Do festival Mascararte também faz parte o concerto dos Gaiteiros de Lisboa; a exposição temática Mascaradas de Inverno da Raia Ibérica e o lançamento do documentário Villanueva de Valrojo: Demónios e Antruejos, de Manuel Gardete e Academia Ibérica da Máscara. Estes dois últimos vão acontecer na quinta-feira. Da programação de sábado destaca-se o Laboratório de Máscara para jovens estudantes e a exposição Mascaradas Raianas, de Carlos Gonzalez Ximenez ou a apresentação do livro Mascaradas de la Península Ibérica de Oscar Gonzalez. Já que ainda estamos em período de pandemia, e a máscara sanitária continua a ser usada diariamente, a 6 de Dezembro vai ser inaugurada a exposição colectiva Um outro olhar sobre a máscara.

Mascaradas Raianas – Mascaradas de Inverno da Raia Ibérica do antigo território Zoela é o mote para a edição deste ano da X Bienal. Esta vai acontecer em Bragança de 25 de Novembro a 6 de Dezembro.

Noticias Relacionadas

Vacaciones iberistas en Brasil

Ya estoy de nuevo en Madrid, tras pasar casi un mes en Brasil. Dado que fueron unas vacaciones lusófonas y algo iberistas, puede que interese