Con el patrocinio de:

Arriva poderá começar a operar na ferrovia ibérica

Companhia pretende ligar a Galiza ao Porto e fazer frente a CP

Comparte el artículo:

Compartir en facebook
Compartir en twitter
Compartir en linkedin
Compartir en whatsapp
Compartir en telegram
Compartir en email

A CP poderá perder o seu monopólio na ferrovia portuguesa pois a Arriva (subsidiária da alemã Deutsche Bahn) pretende concorrer a este domínio não só nas rotas lusas mas também espanholas. A empresa, segundo o jornal espanhol Expansión, pretende operar no eixo Corunha-Porto. Este projeto deveria ter entrado em operação em 2019 e o fim do monopólio da Renfe e a liberalização das linhas podem tornar-se numa realidade.

A não-electrificação da linha nos dois lados da fronteira e a pandemia de Covid-19 atrasaram os planos de expansão da Arriva em território ibérico. Para tal acontecer, a Arriva vai ter que ultrapassar algumas condicionantes técnicas. Estas fazer-se sentir especialmente em Portugal. Se deste lado da fronteira os comboios são munidos por um eixo ibérico, em Espanha operam com um eixo de padrão internacional.

Depois de resolvidas estas questões, a companhia poderá estabelecer um percurso entre a Corunha e o Porto, com paragens em Santiago de Compostela, Vilagarcia de Arousa, Pontevedra, Vigo Guixar, Valença do Minho e Nine. Este trajecto contará com 337 quilómetros e uma duração de três horas. A vontade da Arriva em ligar a Galiza ao Porto ainda não foi concretizada com um pedido formal em Portugal. Atualmente o comboio que sai da estação portuense da Campanhã só faz a ligação até Vigo.

Para o Eixo Atlântico, organismo que agrega municípios portugueses e galegos, a entrada desta empresa é bem-vista e pode no futuro converter-se numa ligação entre a Corunha e Lisboa. Para além desta empresa, a Barraqueiro também pretende explorar o serviço ferroviário em território português.

Noticias Relacionadas