Comemorando o São João com um martelo na mão e os céus iluminados

As celebrações do popular Santo relembram o período pagão e ocorrem um pouco por toda a península Ibérica

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

A noite de 23 para 24 de Junho costuma ser a noite mais longa do Porto e mesmo sem os habituais festejos devido a pandemia, o São João (San Juan; San Xoán; Sant Joan) é inesquecível para o imaginário Ibero-americano. A intensidade nos festejos é a principal marca da noite de São João independentemente do local onde as celebrações ocorram.

O santo protector dos casados e o padroeiro da cidade Invicta (oficialmente esta distinção é da Nossa Senhora da Vandoma) compõe, ao lado do Santo António e do São Pedro, o trio que dá o mote para os festejos dos Santos Populares (ou as Festas Juninas no Brasil). Os primeiros registos existentes das comemorações do S. João do Porto reportam ao século XIV.

Na noite de 23 de Junho, que coincide com o solstício de verão, multidões de pessoas costumam sair a rua para festejar com martelos de plástico, saltar por cima das fogueiras e ver os balões de ar quente que iluminam os céus antes do grande espectáculo de fogo-de-artifício que costuma unir as margens do Porto a Gaia (em Braga também existe uma forte tradição do São João).

Originalmente esta era uma festa pagã onde as pessoas festejavam a abundância e a fertilidade e o uso dos martelos, alhos-porros e ramos de cidreira recordam esta tradição. As cascatas, que representam os saberes tradicionais do Porto, e os manjericos costumam decorar os espaços dos diferentes arraiais que enchem não só as ruas da cidade mas sim o de todo o norte de Portugal. Enquanto se espera que os seus se iluminem, nos festejos não pode faltar a típica sardinha assada, broa de milho, uma tigela de caldo verde, pimentos assados e um bom copo de vinho para brindar. Já no dia seguinte, a foz do Douro é o palco do fim dos festejos com um banho matinal.

Inserido no São João temos a Festa da Bugiada que acontece no município de Valongo (distrito do Porto) a 24 de Junho e remete para o tempo em que os muçulmanos estavam na península Ibérica. A lenda relata que havia uma disputa entre os bugios e os mouros por uma imagem milagrosa de São João.

O San Juan em Espanha

Passando a fronteira, em especial na costa do Mediterrâneo, o São João também é festejado com pompa e circunstância. Tal como acontece em Portugal, na Andaluzia, em Aragão e nas Astúrias fazem-se fogueiras e salta-se por cima delas. Na Extremadura existem largadas de touros e na Galiza as festividades são muito viradas para as raízes celtas e como tal a 24 existem os banhos sagrados. Já em Andorra e na Catalunha as reuniões familiares e as festas na praia são acompanhadas por coca de Sant Joan, um bolo típico comido especialmente neste dia.

Noticias Relacionadas

Deja un comentario