Dia da Europa traz a confirmação da autorização de fixação de um teto no preço do gás

Portugal e Espanha preparam a legislação para a entrada em simultâneo da excepção Ibérica

Comparte el artículo:

Compartir en facebook
Compartir en twitter
Compartir en linkedin
Compartir en whatsapp
Compartir en telegram
Compartir en email

No Dia da Europa, as nações ibéricas voltam a demonstrar serem importantes parceiros estratégicos. A energia é uma parte fulcral das nossas vidas e o aumento dos preços têm mexido com a carteira dos contribuintes. Bruxelas autorizou Portugal e Espanha a fixar tetos no preço do gás. A obrigação do armazenamento acima dos 80% é uma das críticas ibéricas mas a fixação do preço está garantida mas não com o custo pretendido num período inicial (30 euros por MWh).

O gás determina o preço global da eletricidade que utilizamos mas a crise energética e a atual guerra na Ucrânia têm feito com que os preços estejam exagerados. No grupo europeu, o Luxemburgo é o país que tem o gás mais barato e é o segundo no custo da eletricidade. O primeiro-ministro português, António Costa, aproveitou a presença no Parlamento Europeu devido ao Dia da Europa para anunciar aos jornalistas a possibilidade de instaurar mais este mecanismo temporário.

O mesmo terá uma duração de 12 meses e o preço mínimo começará nos 40 euros. Atualmente o preço de referência no mercado é de 90 euros. «A Comissão Europeia deu luz verde à proposta portuguesa e espanhola de forma a evitar a contaminação do preço da eletricidade pela subida do preço do gás e isso é uma medida de grande alcance», contou António Costa.

Em território peninsular será possível colocar o preço médio do gás nos 50 euros por MWh e só falta aprovar a legislação. A coordenação está a ser feita com o governo espanhol e o objetivo é que esta medida entre em simultâneo em todo o território peninsular.

Noticias Relacionadas