Lanzarote recebe 1º Congresso Internacional de Cozinhas e Ecossistemas Vulcânicos

Worldcanic apresenta chefes habituados a usar o potencial dos ecossistemas vulcânicos na culinária

Comparte el artículo:

Compartir en facebook
Compartir en twitter
Compartir en linkedin
Compartir en whatsapp
Compartir en telegram
Compartir en email

A Ilha de Lanzarote vai, até ao dia 3 de Dezembro, receber o Worldcanic. Este congresso, o primeiro das cozinhas vulcânicas, pretende demonstrar o grande potencial destes ecossistemas. A Sicília, Açores, Islândia, Canárias e o Havai são algumas das ilhas convidadas onde a resiliência dos seus povos e os aromas das suas cozinhas emergem das profundezas da terra. Os benefícios de cozinhar sobre fontes termais é o reto a ser respondido pelos participantes deste encontro. Cozinheiros, agricultores e investigadores reuniram-se para mostrar a qualidade e singularidade dos produtos cultivados nestas terras.

A culinária açoriana é representada no Worldcanic pelo chefe Paulo Costa. Este ensinou, usando a sua experiência na cozinha geotermal do Vale das Furnas, como se deve abordar o Cozido das Furnas e os outros pratos que protagoniza em solo vulcânico. Nestes pratos usou a chouriça açoriana e a pimenta salgada. Para Paulo Costa, «temos que aproveitar a terra que temos». E a partir dai fazer o melhor possível com as condições existentes. O Cozido das Furnas é o prato mais conhecido do arquipélago açoriano.

A receita açoriana tem 100 anos e antes era comido apenas em ocasiões festivas. Muitos turistas deslocam-se aos Açores para verem como este prato é feito debaixo da terra e o cheiro a enxofre é uma das suas principais características. Este cheiro é explicado pelo fato de serem usados pedaços de pano para embrulhar as panelas que descem para as furnas.

Cozinha islandesa nas Canárias 

Já o islandês Sigurour “Siggi” Rafn Hilmarsson ensinou como se faz pão de centeio usando o calor da terra. Este pao foi servido aos participantes barrado com manteiga proveniente da Islândia. O próprio nome do pais remete para o gelo das baixas temperaturas e o fogo dos vulcões.

O Worldcanic pretende dinamizar a cozinha termal como forma de assentar mais população nestes territórios vulcânicos e atrair mais turistas. Este congresso é organizado pelo Cabildo de Lanzarote e pela Vocento Gastronomia. O seu diretor-geral, Benjamín Lana, acredita que este evento pode ajudar a destacar estes locais como sistemas naturais únicos que podem ajudar a impulsionar as atividades económicas das regiões e uma vida mais sustentável.

Noticias Relacionadas