Portugal deixa cair algumas das restrições impostas num período em que caminha para a endemia

Terminam os confinamentos para os contatos de risco e o limite de lotação dos estabelecimentos comerciais

Comparte el artículo:

Compartir en facebook
Compartir en twitter
Compartir en linkedin
Compartir en whatsapp
Compartir en telegram
Compartir en email

O Conselho de Ministros anunciou através da ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, a queda de várias das restrições impostas nos últimos meses devido a Covid-19. A partir do dia 7 de Março o país vai deixar de estar em estado de calamidade e várias medidas vão deixar de vigorar. A ministra defende a queda destas restrições como «mais um passo para uma vida normal».

Este alívio é defendido por vários especialistas que defendem que Portugal, que tem uma taxa de vacinação acima dos 90%, está a sair de uma pandemia para uma situação de endemia. O diploma aprovado em conselho de ministros e que deixa cair várias restrições terá que ser promulgado pelo presidente da República.

A partir deste momento, o confinamento apenas será obrigatório para pessoas com teste positivo (com ou sem sintomas). Também deixa de ser necessário o teletrabalho e um limite de lotação nos espaços comerciais. Os certificados digitais de vacinação deixam de ser necessários para entrar em restaurantes ou discotecas mas continuam a ser necessários para ingressar nas fronteiras portuguesas. Para entrar em grandes eventos já não é necessário apresentar um teste negativo. Ainda não foi confirmado se os testes deixam ou não de ser gratuitos.

Continua a ser necessário um teste negativo (caso a pessoa não tenha as 3 doses da vacina) para entrar em locais sensíveis, como é o caso de lares e de hospitais. Também continua a ser necessário estar nos espaços interiores de acesso público com máscara. Ainda não existe data para estas últimas restrições caírem mas o governo relembra que os óbitos ainda estão muito elevados e como tal não é possível avançar para o valor zero de restrições já. A situação sanitária no país continuará a ser avaliada a cada quinze dias.

Os especialistas acreditam que em cinco semanas Portugal atingirá as 20 mortes por milhão de habitantes a 14 dias. Esta é a meta necessária alcançar para deixar cair todas as restrições em território português.

Noticias Relacionadas