A Nossa Senhora do Tejo vai unir a fronteira através da fé e dos afetos

Cruzeiro peregrino vai passar por 53 localidades que compartilham a mesma cultura e afetos

Comparte el artículo:

O II Cruzeiro Ibérico do Tejo vai, depois de dois anos de pausa, voltar a ligar o maior rio da península. Na última peregrinação fluvial participaram 12.000 pessoas e 250 embarcações. O Tejo sempre foi uma autoestrada que ajudava no transporte de pessoas, mercadorias, culturas e de fé. As comunidades ribeirinhas vão voltar a aproximar-se e a mostrar as suas enormes potencialidades.

Serão 9 etapas de um programa que vai unir Portugal e Espanha através dos afetos e da religião. Esta peregrinação, que está inserida na oitava edição do Cruzeiro Religioso e Cultural do Tejo, vai começar já no dia 4 de junho. Neste dia, embarcações e populações vão partir do Rosmaninhal e de Santiago de Alcântara (Espanha). Antes de entrar em águas lusitanas, a Nossa Senhora do Tejo vai parar em três localidades espanholas.

Ao longo dos dias haverá paragens em 53 localidades avieiras e vão ser transpostas três barragens e dois açudes. Em todos os locais a Santa será adorada em receções solenes, cerimónias ou missas de louvor a padroeira. A peregrinação vai terminar a 19 de junho, 280 kms depois, na Marina de Oeiras. Os devotos de vão pedir pela saúde e pela paz na Ucrânia. Á Santa sempre rezaram por proteção contra as dificuldades e os perigos associados a navegação fluvial.

O VIII Cruzeiro Religioso e Cultural do Tejo/II Cruzeiro Ibérico do Tejo é organizado pela Confraria Ibérica do Tejo (CIT). Esta peregrinação e cruzeiro fazem parte da candidatura que a cultura Avieira pretende apresentar a Património Mundial.

Noticias Relacionadas

A hora da Liberdade

Agora que estamos a poucas horas (mais precisamente sete) do dia em que comemoramos os cinquenta anos da Revolução dos Cravos está na altura de