António Cunha é o novo presidente da comunidade de trabalho da eurorregião Norte de Portugal-Galiza

O político português defende uma maior mobilidade transfronteiriça

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

António Cunha, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Norte, assumiu, numa reunião em Salvaterra de Miño (Pontevedra), a presidência rotativa da comunidade de trabalho da eurorregião, que até ao momento tinha sido liderada pelo presidente da Xunta da Galiza Alberto Nûnez Feijóo. Sobre a reunião, que decorreu presencialmente, o novo presidente da eurorregião disse que a mesma demonstra os importantes e resilientes «laços históricos e culturais de fraternidade que unem galegos e nortenhos».

O português aos jornalistas afirmou que quer um mecanismo de excepção prático no norte de Portugal com a Galiza que reconheça a especificidade da raia para que não haja um novo fecho que tanto afectou a nível social e económico as populações dos dois lados da fronteira. O líder nortenho defende que é necessário retirar lições para o futuro da experiência traumática vívida no último ano e meio.

«Ao longo dos séculos, os nossos povos assimilaram e actualizaram laços de vizinhança, de confiança e cooperação, de trocas – sociais, laborais, comerciais ou simbólicas», disse sobre a matriz cultural que une o norte de Portugal e a Galiza. O novo presidente da comunidade de trabalho da eurorregião considera imperativa uma maior descentralização que dê ao norte de Portugal melhores condições para uma cooperação territorial mais sólida com a Galiza e a criação de uma cidadania conjunta e uma opinião pública eurorregional com uma agenda partilhada. Para alcançar tal marco, o governante português afirmou que estão «prontos para dialogar com as autoridades portuguesas e espanholas neste sentido».

António Cunha defende uma maior mobilidade transfronteiriça

Para salvaguardar futuros encerramentos, António Cunha defendeu «ajustamentos legislativos do lado português para promover a mobilidade laboral transfronteiriça» e disse esperar para breve uma ligação ferroviária moderna e rápida entre as cidades do Porto e de Vigo, que segundo o ministro das infra-estruturas português, Pedro Nuno Santos, é estratégica para o desenvolvimento nacional.

A política de investimentos da eurorregião para o período de 2021-2027 vai estar assente numa maior cooperação tanto na protecção sanitária como civil; uma dinamização dos activos territoriais, como é o caso da floresta e a retoma do turismo sustentável e dos Caminhos de Santiago. António Cunha considera ser «necessário promover e mobilizar um maior acesso da eurorregião a programas de iniciativa comunitária como o Horizonte Europa e a Europa Criativa». O novo presidente da eurorregião também prometeu a dinamização de uma orquestra juvenil eurorregional, festivais de teatro e criação literária e uma escola de dança.

Noticias Relacionadas

Deja un comentario