As comunidades autónomas espanholas não ofereceram médicos a Portugal

Castilla-La Mancha somou-se a Galiza e a Extremadura na solidariedade com o país luso, disponíveis para receber doentes leves

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Numa reunião por videoconferência entre o embaixador de Portugal em Espanha, João Mira Gomes, e meia centena de membros da comunidade portuguesa em Espanha, organizada pelo Fórum dos Portugueses, deu a conhecer novos dados sobre a oferta da ajuda sanitária de Espanha a Portugal.

O embaixador português agradeceu toda a disposição para ajudar, enquadrado nos mecanismos de ajuda europeus. Esta ajuda não foi solicitada por Portugal mas sim uma oferta da ministra espanhola dos negócios estrangeiros, Arancha González, e posteriormente foi sumada a das comunidades autónomas da Galiza, Extremadura e Castilla-La Mancha, que têm competência própria. Recentemente também falaram as ministras da saúde de Espanha e Portugal. Igualmente, os coordenadores técnicos das respectivas comunidades e Portugal incetaram diálogo. As comunidades espanholas apenas ofereceram camas para pacientes leves portugueses. Não houve uma oferta de envio de material ou de médico, tal como fez a Alemanha.

João Mira Gomes fez uma revisão dos marcos de 2020. Entre eles está a Estratégia Comum de Desenvolvimento Transfronteiriço no âmbito da Cimeira Ibérica e o seu Mecanismo de Acompanhamento, bem como a identificação de projectos conjuntos para atrair fundos europeus para investir em hidrogénio verde e em projectos de lítio. Referiu ainda as prioridades da Presidência Europeia, onde já se confirmou no Porto uma cimeira social nos dias 7 e 8 de Maio.

Um dos participantes do encontro perguntou quando haverá uma Escola Portuguesa para filhos de emigrantes. O embaixador respondeu que é um assunto da iniciativa privada. No comboio de alta velocidade Madrid-Lisboa, João Mira Gomes confirma a data de Dezembro de 2023, conforme comunicado pelo Governo português. Reconheceu que a opinião pública desconhece o estado de desenvolvimento das obras e indicou que o Governo português está interessado em várias ligações com Espanha (Vigo, Salamanca, Badajoz e Hueva).

mPI: “Não é hora para orgulhos inúteis”

O Movimento Partido Ibérico (mPI), organização iberista portuguesa, ficou “a saber que Portugal negou ajuda à Galiza” e solicita ao governo Português que “não é hora para orgulhos inúteis e aproveite todas as ajudas possíveis para salvar nem que seja mais um pai, uma mãe, um filho ou uma filha”. O presidente do mPI declarou que “se houver um alívio na carga no nosso Serviço Nacional de Saúde, é bem provável que possamos salvar mais vidas, também, noutros casos que não Covid e isso não pode ser desconsiderado”..

Noticias Relacionadas

Como chegámos a uma «Tempestade Perfeita»?

O que é uma «Tempestade Perfeita»? Normalmente quando utilizamos esta expressão estamos a descrever um fenómeno meteorológico que foi criado graças a confluência de vários