Barcelona vai acolher o IV Encontro das Academias de Cinema da Península

A conferência inaugural, a cargo do historiador Ramón Villares, vai reenvidicar a diversidade cultural a partir do conceito de Iberismo cultural

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Barcelona vai acolher, pela primeira vez, o Encontro das Academias de Cinema da Península, um evento anual que já compre quatro edições e que reune as academias de cinema de âmbito autónomas e de Portugal. A reunião vai te lugar nos dias 26 e 28 de Maio, segundo a informação que a Acadèmia del Cinema Català informou. As jornadas vão ser celebradas no Ateneu Barcelonès, no Hotel Duquesa de Cardona e na sede da SGAE na Catalunha. Este acto será a despedida da produtora Isona Passola, que está a frente da instituição catalã desde 2013.

Durante esses dias, representantes das diferentes academias da península vão intercambiar experiências e “articular acções coordenadas para a visibilidade e o reconhecimento da diversidade cinematográfica que representam”.

Mesas redondas, apresentações e reuniões a porta fechada vão ser algumas das actividades que vão ser levadas a cabo e nas quais se vai “reflectir em torno dos principais desafios que as academias de cinema enfrentam após um ano complicado para o sector, onde houve uma acelerada mudança no financiamento, produção, distribuição ou na exibição das obras cinematográficas”.

A conferência inaugural vai estar a cargo do historiador galego Ramón Villares que vai reenvidicar a “diversidade cultural na península a partir do conceito de Iberismo cultural”.

Este evento vai servir para reflectir sobre os principais desafios que as academias de cinema enfrentam após um ano complicado para o sector.

Está previsto que estejam presentes: Lourdes Palacios e Enrique Iznaola, da Academia de Cinema da Andaluzia; Aureliano Rodríguez e Graciela Mier, da Academia de Cinema Asturiano; Jesús Marco e Santiago Fuster, da Academia de Cinema de Aragão; Miguel Mariño e Marisela Lens, da Academia Galega do Audiovisual; Diogo Camões, da Academia Portuguesa de Cinema; Pep Llopis e Laura Pérez, da Academia Valenciana do Audiovisual, para além da Junta Directiva da Acadèmia del Cinema Català.

A 27, da parte da tarde, terá lugar uma apresentação a porta fechada sobre o Estatuto do Artista”, reforma que se considera “necessária para a protecção dos profissionais do cinema”. A reunião vai explicar o processo seguido na Catalunha pela voz Gemma Sendra, vereadora da Câmara Municipal de Barcelona e ex-presidente da CoNCA, que irá partilhar com as academias a sua experiência no plano institucional, e Àlex Casanovas, presidente da Associação dos Actores Profissionais e Diretores da Catalunha, que o abordarão de um ponto de vista profissional.

No dia 28 serão abordadas as conclusões e linhas de acção conjuntas das diferentes academias cinematográficas “para renovar a potência das suas produções e disciplinas num momento de mudança de paradigma, tanto a nível de desenvolvimento e produção como de público acesso às suas próprias cinematografias “.

Noticias Relacionadas

Como chegámos a uma «Tempestade Perfeita»?

O que é uma «Tempestade Perfeita»? Normalmente quando utilizamos esta expressão estamos a descrever um fenómeno meteorológico que foi criado graças a confluência de vários

Deixe um comentário