Espanhol Português

O Ministério dos Transportes, Mobilidade e Agenda Urbana aprovou, de forma provisória, um estudo informativo sobre o comboio de alta velocidade Madrid-Extremadura, que tem um ramo que liga Madrid-Oropesa, tem 127 quilómetros e um custo estimado entre 1.302 e os 1.307 milhões de euros.

O Ministério iniciou os trâmites administrativos para começar o processo de informação pública e audiência, que começa já nos próximos dias com a publicação no Boletim Oficial do Estado (BOE), tal como anunciou o ministro José Luis Ábalos.

Esta actuação permite melhorar a qualidade e prestações dos serviços ferroviários e dar continuidade para as restantes ramificações do corredor ferroviário Madrid-Extremadura, actualmente estando em marcha em diferentes graus de avanço, asseguram no ministério.

O estudo informativo do ramo Madrid-Oropesa está a ser desenhado para ter uma dupla via electrificada com anchos de largura standard, que dá continuidade à concepção dos troços em construção ou em fase de desenvolvimento. Esta foi concebida para o tráfego exclusivo de passageiros entre Madrid e Talavera de la Reina e o tráfego misto de passageiros e mercadorias entre Talavera de la Reina e Oropesa.

A alternativa seleccionada origina-se da linha de alta velocidade Madrid-Toledo na entrada da actual estação de Toledo.

Mais Avanços

Do mesmo modo, o Conselho de Administração da Adif Alta Velocity autorizou o concurso para o contrato de renovação da via e adaptação das estações de Plasencia e Monfragüe, no valor total de 13,7 milhões de euros.