Espanhol Português

A região Porto-Norte (Portugal) respondeu a convocatória para uma reunião ao mais alto nível para tratar de recuperar a linha férrea que comunicava Castilla y León com o país vizinho por Barca d’Alva e La Fuente de San Esteban (Salamanca), segundo explicou em declarações a agência Ical, a directora-geral do Turismo, Estrella Torrecilla.

“Os portugueses propuseram a possibilidade de um encontro entre o Ministro das Obras Públicas de Portugal e o seu homólogo espanhol para começarem a trabalhar na recuperação dessa ferrovia. O governo português está muito envolvido neste projecto, no qual deseja angariar fundos europeus para que as duas comunidades, como uma única região europeia, possam ter direito aos mesmos, contando com a colaboração entre os governos dos dois países “, afirmou Estrella Torrecilla.

A directora-geral reuniu-se nas águas interiores do Douro com representantes das autarquias Porto-Norte (Portugal) para retomar as relações “intensas” mantidas nos últimos meses com a Junta de Castilla y León, com o objectivo de “avançar” nas ações de promoção dos projectos comuns.

Nesta reunião, onde participou o presidente do Turismo do Porto e Norte, Luis Pedro Martins, e o director para a área da Natureza do Porto-Norte, Carlos Ferreira, assim como o deputado provincial e autarca  de Villar del Buey, José María Nieto, aproveitaram para reconhecer o facto de o governo luso ter brindado a empresa Europarques como “modelo de gestão e adaptação da empresa nas medidas higiénicas e sanitárias” perante a pandemia do Coronavirus.

Por estar em vigor o fecho de fronteiras, a expedição espanhola reuniu-se em Torregamones (Zamora) e fizeram uma pequena caminhada para chegarem ao cais, onde apanharam um barco onde se reuniram com os representantes portugueses, que embarcaram em Miranda do Douro.

“Tivemos um encontro nas águas internacionais do rio Douro. Foi muito produtivo. Já tínhamos vontade de reviver as relações entre Castilla y León e o Porto-Norte. Desde há meses que iniciamos as bases para propiciar uma promoção conjunta aproveitando o rio como um elo de união, já que aqui temos os vinhos mais premiados do mundo e património da UNESCO”, explicou a Ical a directora-geral do Turismo. “Avançámos na maqueta de um mapa conjunto que estamos a realizar e de uma carta de vinhos de todas as denominações de origem que há entre Castilla y León e o Porto-Norte”, acrescentou.