Adif adjudica a electrificação da linha do AVE extremenho até Caia (Fronteira Portuguesa)

Tem um percurso de 103,4 quilómetros

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

O Conselho de Administração da Adif Alta Velocidade autorizou a adjudicação das obras das instalações das catenárias e respectivos sistemas de electrificação associados ao troço Peñas Blancas-Mérida-Badajoz-Fronteira Portuguesa, pertencente à Linha de Alta Velocidade que liga Madrid-Extremadura. Esta é a electrificação do último troço da linha da Extremadura, que está em processo de construção de todo o traçado entre Plasencia e a fronteira com o Caia. Desde Junho de 2019 estão a ser realizadas obras entre Plasencia e Peñas Blancas.

As obras foram adjudicadas à empresa Cobra Instalaciones y Servicios e têm um valor de 24.147.280,47 euros (IVA incluído) e um prazo de execução de 18 meses. O projecto define técnica e economicamente as acções e requisitos, tanto funcionais como operacionais, necessários para a execução dos trabalhos relativos às instalações de catenárias e sistemas associados para o referido trecho. Para tal está a ser electrificado o sistema 2×25 kV, típico de alta velocidade. Este contrato será executado ao longo de diferentes troços da plataforma desde a bifurcação Peñas Blancas (aproximadamente no quilómetro 125) até à fronteira com Portugal (quilómetro 198).

As obras serão executadas ao longo de 103,4 km, na sua maioria em via dupla. Este projecto inclui ainda a electrificação das estações de Mérida, Aljucén, Montijo e Badajoz, bem como das Estações de Avanço e Estacionamentos de Comboios (PAET), Estação de Bloqueio (PB) e áreas únicas.

De igual forma, o projecto inclui os sistemas de aquecimento por agulhas, que tem como missão evitar o congelamento das mudanças de via, bem como os sistemas de iluminação dos túneis.

As acções contempladas no projecto estão divididas em duas fases: a Fase 1 tem um período de execução de 12 meses e inclui a electrificação da Bifurcação da Fronteira Peñas Blancas-Badajoz-Portuguesa. Na Fase 2, o período de execução é de 6 meses e inclui a electrificação do desvio de Mérida e a duplicação da via entre Aljucén e Mérida.

Noticias Relacionadas

Como chegámos a uma «Tempestade Perfeita»?

O que é uma «Tempestade Perfeita»? Normalmente quando utilizamos esta expressão estamos a descrever um fenómeno meteorológico que foi criado graças a confluência de vários

Deixe um comentário