Español Português

Autarcas de Trás-os-Montes e da Galiza decidiram ontem enviar um documento conjunto aos governos de Portugal e Espanha a pedir uma nova ligação transfronteiriça entre Macedo de Cavaleiros e a Gudiña. A pretensão surgiu do lado português por parte do município de Vinhais, no distrito de Bragança, quando se começou a discutir as prioridades nacionais de investimentos para o novo quadro comunitário de apoio 20/30.

A nova ligação rodoviária tem reunido apoios do lado de Portugal e ontem foi tema de uma reunião no município da Gudiña com representantes de ambos os lados da fronteira, que decidiram elaborar um documento conjunto com a reivindicação. Segundo disse à Lusa o presidente da Câmara de Vinhais, Luís Fernandes, o documento com os argumentos sobre a importância desta ligação destina-se a ser enviado aos governos de Portugal e Espanha.

A nova ligação transfronteiriça pretendida tem cerca de 60 quilómetros, de acordo com o autarca português, perfil de itinerário principal (IP) a partir do IP2, em Macedo de Cavaleiros, seguindo para Vinhais, Moimenta e Gudiña. Do lado português, a reivindicação foi já apresentada aos grupos parlamentares e ao Governo, através da Comunidade Intermunicipal (CIM) Terras de Trás-os-Montes, que colocou esta nova estrada nas prioridades para o Plano Nacional de Investimentos.

A última versão do plano apresentada pela Governo português não contemplou nem esta, nem outras prioridades rodoviárias apontadas para as Terras de Trás-os-Montes. A CIM esteve presente na reunião de ontem, em Espanha, onde se fizeram representar também a Xunta da Galiza, vários alcaides da Gudiña e a conselheira espanhola das Infraestruturas, como indicou à Lusa o autarca português.

O propósito destas ações conjuntas, segundo Luís Fernandes é “concretizar esta pretensão nos dois lados da fronteira e fazer pressão junto dos governos”. “O sentimento comum que ficou expresso nesta reunião é o da necessidade e importância desta ligação para toda a região de Trás-os-Montes e vizinha Galiza”, afirmou.

O autarca referiu que esta rodovia permite a ligação de Trás-os-Montes à A52, a chamada autoestrada das Rias Baixas, em Espanha, assim como à futura estação do comboio de alta velocidade espanhol. “Esta ligação assume-se como fulcral no desenvolvimento de Trás-os-Montes, bem como, dos concelhos de A Gudiña e Rios”, vincou.

Outros autarcas preferem a conexão entre Puebla de Sanabria (Zamora), também com estação de TGV, e Bragança.