Português

Em 2019, foram produzidas 117,4 milhões de garrafas de vinhos da região do Alentejo. Estes valores apresentam um aumento de 3,8% face a 2018 e mostram a pujança dos vinhos alentejanos, que cada vez são mais valorizado tanto a nível nacional como internacional, onde coleccionam distinções dadas nas inúmeras feiras por onde passam. Segundo os dados apresentados, o vinho regional alentejano teve um aumento significativo nos vinhos especialmente originários das sub-regiões de Portalegre (+38%) e da Granja-Amareleja (+17%).

Sobre este crescimento na produção, Francisco Mateus, presidente da CVRA (Comissão Vitivinícola Regional Alentejana) explica que “estes resultados revelam que a região está dinâmica e que as produções em cada ano influenciam o potencial comercial dos produtores, dado que a vindima de 2018 teve mais produção o que possibilitou mais vendas em 2019, situação que não se tinha verificado nos três anos anteriores”.

Duas características que podem distinguir os vinhos tintos do Alentejo dos seus semelhantes espanhóis é a presença de uma cor mais escura e o sabor forte mas onde é possível sentirmos os sabores frutados fortes. Os vinhos portugueses mais apreciados no outro lado da fronteira são: os do Douro, os verdes da Bairrada, o doce moscatel da região de Setúbal ou o histórico vinho madeira (símbolo da região autónoma em todo o mundo).

Portugal é o quarto maior exportador europeu de vinho, apenas ficando atrás de Espanha, França e Itália. No que toca ao panorama global, os vinhos feitos em solo lusitano são bastante apreciados e apenas no ano passado valeram 738 milhões de euros a economia nacional.