Con el patrocinio de:

EDP vai reconverter centrais térmicas para a produção de energia verde na Andaluzia

Investimento da energética portuguesa vai custar 100 milhões de euros e vai centrar-se nas centrais térmicas de Puente Nuevo e Los Barrios

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

A EDP anunciou em comunicado que vai investir 100 milhões de euros para reconverter as centrais térmicas de Puente Nuevo e Los Barrios (Cádiz) em produtoras de hidrogénio verde, energia renovável e uma das grandes apostas da empresa, e armazenadoras energéticas. Este processo, como foi anunciado a Junta da Andaluzia, vai permitir continuar o processo de descarbonização (que já levou ao fecho da central de Sines) ao mesmo tempo que vai criar 8 mil postos de trabalho, de forma directa e indirecta, nas duas centrais.

A EDP, que em 2030 pretende ser 100%, planeia para a central de carvão de Puente Nuevo (que deixou de funcionar em Junho do ano passado) vários projectos renováveis que vão permitir gerar uma maior riqueza para a economia da comarca de Córdoba. A central vai ter uma planta capaz de produzir 50MW de energia fotovoltaica, para além de ter uma parte dedicada a biomassa e a produção de cobre.

Já a central de carvão de Los Barrios (Cádiz) vai apresentar projectos de hidrogénio, que vai estar em torno do Campo de Gibraltar, e um projecto de armazenamento energético com baterias ion-litio de 255 MW.

O fecho destas centrais vai levar, após um consenso entre o governo central e a Junta da Andaluzia, leva a investimentos para compensar economicamente projectos de desenvolvimento para as comarcas onde estavam inseridas e envolvendo tanto as empresas locais como a sociedade civil.

EDP investe em hidrogénio na Galiza

A EDP, em conjunto com a Reganosa, anunciou um investimento de 780 milhões de euros na Galiza para a produção de hidrogénio verde, energia hídrica e em parques eólicos. Este projecto vai ser levado a cabo em Ferrolterra, próximo da Corunha, e consistente na construção de uma central de produção de hidrogénio (H2) que vai ter uma capacidade de 100 megawatts (MW), um sistema de armazenamento energético com uma potência de 570 MW e um complexo de energia eólica composto por quatro parques com turbinas que vão somar 270 MW a potência instalada. Estes investimentos vão criar 400 postos de trabalho directos e 7 mil indirectos.

Noticias Relacionadas

Deja un comentario