Con el patrocinio de:

Endesa e Fundação Real de Madrid reforçam parceria no apoio ao desporto adaptado

O apoio ao desporto adaptado e o que falta fazer para que seja acessível e reconhecido por todos

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

A Endesa renovou a colaboração que têm com as escolas que a Fundação Real Madrid tem em Espanha, Portugal e Marrocos. Esta aliança, que está no seu décimo segundo ano, envolve as duas marcas que trabalham em conjunto junto dos mais novos. Levar o desporto e os seus valores a todos os jovens, não fazendo diferença entre a latitude em que estão ou a camada social, são o principal objetivo. 

No acordo assinado entre a Endesa e a Fundação Real Madrid para a temporada 2021/22 destacam-se projetos de basquetebol adaptado e inclusivo em Espanha; futebol e basquetebol em Portugal (isto em colaboração com as Missões Salesianas), e futebol em Marrocos. O apoio prestado pela Endesa ao desporto adaptado tem permitido, só em Espanha, que 245 crianças pratiquem desporto. Sem este apoio a prática de desporto não seria possível. A sustentabilidade e um compromisso de longo prazo com as pessoas são duas características que fazem parte da cultura desportiva e corporativa das duas marcas.

«Não podíamos estar mais orgulhosos e, acima de tudo, mais agradecidos pelo trabalho levado a cabo pela Fundação Real Madrid. As suas escolas constituem um apoio fundamental na vida de rapazes e raparigas que têm algum tipo de deficiência. A prática de desporto é uma tarefa importantíssima para o bem-estar destes jovens», declarou o CEO da Endesa, José Bogas, na assinatura deste acordo que, pelo lado do Real de Madrid, contou com a presença de Emilio Butragueño.

O desporto adaptado em Portugal

Apesar do sucesso que os atletas paralímpicos portugueses costumam ter nos Jogos Olímpicos, com várias medalhas conquistadas, o desporto adaptado em Portugal continua a passar por dificuldades. A falta de uma organização unificada, entre o Comité Paralímpico Português e os diferentes clubes, e o estigma social que estes atletas enfrentam levam a que os seus ganhos sejam quase invisíveis nos meios de comunicação social. Lenine Cunha, com 197 medalhas conquistadas em competições internacionais, é o atleta com mais conquistas a nível mundial.

Noticias Relacionadas