Lisboa recebeu Assembleia Parlamentar da NATO onde se pediu uma maior unidade do «mundo livre»

Próxima Cimeira da NATO vai acontecer em Madrid no ano em que marca o 40.º aniversário da entrada de Espanha

Comparte el artículo:

Compartir en facebook
Compartir en twitter
Compartir en linkedin
Compartir en whatsapp
Compartir en telegram
Compartir en email

Na abertura da Assembleia Parlamentar da NATO (OTAN), o primeiro-ministro pediu uma organização mais solidária e sem as crises de confiança que existiram nos últimos anos. Sobre o sucesso desta união política e militar, da qual Portugal foi um dos países fundadores, António Costa referiu a evolução e adaptação necessária para enfrentar um mundo que se volta a polarizar e onde nenhum dos aliados e suficientemente forte para enfrentar os novos desafios colocados. A paz e a coesão global são os principais objectivos deste grupo.

«A reemergência de um mundo mais multipolar, num contexto de forte globalização, a alteração do poder relativo, económico e militar, das diferentes regiões do mundo, a persistência de focos de instabilidade em regiões vizinhas e a premência de desafios globais como o terrorismo, as migrações ou as alterações climáticas, exigem que a Aliança Atlântica dê a resposta adequada», disse o chefe de Governo que pretende um melhor cuidado com o Atlântico sul.

O presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, relembrou o que aconteceu no Afeganistão (descrita por Stoltenbeg como uma «tragédia») para pedir mais diálogo e uma NATO (OTAN) e União Europeia alinhadas e com voz no mundo. A vertente portuguesa de elo de ligação entre o continente europeu e o Atlântico foi defendida tanto pelo primeiro-ministro como pelo presidente. O presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, também falou neste encontro para pedir uma maior unidade às nações do «mundo livre».

Na 67.ª Sessão Anual da Assembleia Parlamentar da NATO (OTAN), que decorreu em Lisboa, a solidariedade, a defesa da democracia, a ascensão da Rússia e da China, as alterações climáticas ou a guerra tecnológica foram alguns dos temas falados nesta reunião e que vão marcar os próximos anos dos países que fazem parte desta organização. A presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, também marcou presença nesta assembleia, onde recebeu o prémio «Women for Peace and Security Award», e falou sobre a importância das mulheres na luta contra a corrupção e no fortalecer da democracia.

A próxima Cimeira da NATO (OTAN) vai acontecer em Madrid de 29 a 30 de Junho de 2022 e o primeiro-ministro Pedro Sánchez pretende nesta reunião ver aprovado o novo conceito estratégico da Organização do Tratado do Atlântico Norte onde vão estar inseridos alguns dos conceitos que foram discutidos no encontro de Lisboa. Esta Cimeira vai coincidir com o 40.º aniversário da entrada de Espanha na organização do Atlântico Norte.

Noticias Relacionadas