Martinho da Arcada, 240 anos do café dos gelados e dos escritores

O café na Praça do Comércio foi inaugurado pelo Marquês de Pombal e é um dos espaços mais conhecidos e Lisboa

Comparte el artículo:

Compartir en facebook
Compartir en twitter
Compartir en linkedin
Compartir en whatsapp
Compartir en telegram
Compartir en email

O Café-Restaurante Martinho da Arcada, que fica na Praça do Comércio, é um dos espaços mais antigos e marcantes da cidade de Lisboa. Naquelas quatro paredes passaram conspirações, intriga política (já que vários ministérios ficam perto deste café), literatura e artes. O Martinho da Arcada, que celebra 240 anos, está bastante ligado a literatura portuguesa. Fernando Pessoa (que ali tem uma mesa cativa), Eduardo Lourenço e José Saramago foram alguns dos nomes conhecidos que passaram pelo café que, alegadamente, foi inaugurado pelo Marquês de Pombal em 1782.

Pessoa, que também era presença frequente na Brasileira do Chiado, bebeu o seu café e absinto neste espaço durante 20 anos. Segundo a história, o escritor teria tomado ali um último café com Almada Negreiros, três dias antes de falecer, em 30 de Novembro de 1935. Já o Prémio Nobel da Literatura, José Saramago também tem uma mesa cativa no espaço perto do Terreiro do Paço.

Este café, que ao longo dos anos viu o seu nome mudar várias vezes, foi o primeiro na cidade a servir gelados e era frequentado pela sociedade elegante. O nome Martinho da Arcada surgiu em 1824 e era usado para distinguir um outro café Martinho, que havia perto do Rossio. O conhecido espaço é um dos grandes patrimónios arquitectónicos da cidade de Lisboa. O luxo e a história podem ser sentidos tanto as suas mesas como paredes que tiveram como clientes Crowley, Bocage ou Almada Negreiros. Alguns dos maiores nomes da história cruzaram-se durante mais de duas décadas com as mudanças que a cidade e o país têm sentido.

Neste lugar emblemático e «mítico», como pode ser lido no seu livro de honra, pode beber um café na esplanada banhada pela luz de Lisboa ou deliciar-se com um dos seus pratos típicos, bastante apreciados tanto por lisboetas como por visitantes.

Noticias Relacionadas