Ucrânia e Marrocos fazem parte a candidatura ibérica para o Mundial de 2030

Em Lisboa apelou-se às restantes federações europeias para que apoiem as aspirações ibéricas para receber o Mundial de 2030

Comparte el artículo:

Durante o 47º Congresso da UEFA, que aconteceu em Lisboa e reconduziu Ceferin no cargo máximo do futebol europeu, o primeiro-ministro português confirmou que a Ucrânia fará parte ativa da candidatura ao Mundial de 2030 que une as duas nações ibéricas a vizinha Marrocos. O futebol volta, com a Ucrânia a fazer parte desta candidatura, a ser um símbolo de paz e de diálogo entre os povos.

Esta candidatura já recebeu o “abraço” da UEFA para seguir em frente. O Mundial de 2030, que vai marcar o centenário da maior competição de seleções do mundo, vai acontecer daqui a 7 anos, mas a escolha da sede vai acontecer dentro de um ano. Portugal, Espanha e Ucrânia pretendem ser os candidatos europeus a conseguirem tal feito. O presidente da UEFA defende que este trio, em conjunto com Marrocos, concorram para receber o Mundial e unir dois continentes separados pelo mediterrâneo.

Uma separação que agora é unida não só pelo desporto, mas também pelos melhores valores defendidos por ambos os continentes. Esta candidatura é cada vez mais vista não só como de 4 países, mas de toda a Europa (e porque não dizer África?) unida. Esta revelação foi feita durante o discurso de António Costa na abertura do Congresso, que está a acontecer no Centro de Congressos de Lisboa.

Relembrando a relação privilegiada que Portugal tem com a UEFA, e que está mais reforçada com a candidatura de Fernando Gomes para o Conselho da FIFA, Costa defendeu a “candidatura é única, unindo dois continentes. Não há mensagem mais poderosa: através do futebol, juntos, podemos conseguir a paz, a tolerância e o entendimento entre os povos. Contamos com o vosso apoio. Portugal é um dos países mais seguros e com maior estabilidade política no mundo”.

Fernando Gomes considera esta uma candidatura “pioneira”. Costa, Gomes e Ceferin apelaram, em Lisboa, o apoio das 55 federações-membro da UEFA presentes na reunião anual da entidade.

Noticias Relacionadas

Leonor en Portugal

“Me siento muy honrada después de recibir la Gran Cruz de la Orden de Cristo y de manos de Su Excelencia el Presidente de la