Con el patrocinio de:

Cepsa e a Endesa X querem acelerar a mobilidade elétrica na Península Ibérica

Espanha e Portugal são os países mais apoiados com compra de dívida pelo BCE

Comparte el artículo:

Compartir en facebook
Compartir en twitter
Compartir en linkedin
Compartir en whatsapp
Compartir en telegram
Compartir en email

A Cepsa e a Endesa X assinaram uma parceria com o objetivo de acelerar os carregamentos ultra-rápidos em Portugal e Espanha. Para dar o salto para um futuro onde a mobilidade elétrica seja habitual, as empresas pretendem desenvolver uma rede de carregamentos rápidos para este tipo de veículos. Esta medida, que contribui para a descarbonização dos transportes, tem objetivos comuns com os da Agenda 2030 e com uma economia sustentável. A sustentabilidade tem levado a que várias empresas tornem as suas frotas elétricas. As frotas corporativas europeias são responsáveis por 50% das emissões de CO2 para a atmosfera.

Os clientes de ambas as empresas poderão usar os carregadores. Desta forma, e segundo o comunicado a imprensa, 2.800 pontos de carga da Endesa X tornam-se acessíveis aos clientes da Cepsa. Estes estão maioritariamente em Espanha. Para José Bogas, conselheiro delegado da Endesa, está colaboração é fundamental «para acelerar os projetos e gerar maior utilidade para a sociedade».

Espanha e Portugal são os países mais apoiados pelo BCE na compra de dívida.

Segundo o instituto alemão ZEW, Espanha e Portugal foram dois dos países que mais receberam ajuda do Banco Central Europeu. Este programa de apoio de emergência termina em Março de 2022. Esta ajuda foi prestada através da compra de dívida. Se compararmos com o PIB, o BCE detém em dívida espanhola um valor equivalente a 38,44%. Já no caso português, as aquisições de dívida atingem os 37,53% do produto interno bruto. A Itália é o terceiro país que encerra o pódio daqueles que foram mais apoiados pelo banco liderado por Lagarde.

Noticias Relacionadas