Con el patrocinio de:

Embraer vai vender instalações em Évora a espanhola Aernnova

A companhia espanhola vai produzir componentes no Alentejo para a Embraer e a Boing

Comparte el artículo:

Compartir en facebook
Compartir en twitter
Compartir en linkedin
Compartir en whatsapp
Compartir en telegram
Compartir en email

A empresa brasileira Embraer vai vender as fábricas que detém em Évora à espanhola Aernnova. Esta transação, que vai acontecer por 151 milhões de euros, é comunicada pela aeroespacial como uma forma da primeira diversificar a sua carteira de clientes. Após esta compra, as instalações na cidade alentejana (a Embraer Portugal Estruturas Metálicas e a Embraer Portugal Estruturas em Compósitos) passaram a ser os maiores centros produtivos da companhia espanhola a nível mundial.

Para a Embraer, este acordo «reforça e consolida o seu compromisso com Portugal, país onde a empresa mais investe na capacidade industrial». A Aernnova emprega 4.600 pessoas e conta com 14 unidades industriais espalhadas por sete países. Com sede no País Basco, a companhia, fundada por Iñaki López de Gandásegui, também é fornecedora para a Boeing e a Airbus.

O complexo de Évora, que emprega cerca de 500 pessoas, produzem, usando as tecnologias mais avançadas, componentes para asas e estabilizadores verticais e horizontais jactos executivos e comerciais. A Aernnova, com esta compra, espera uma receita a longo prazo de 170 milhões de dólares. A faturação anual é de 700 milhões de euros. Segundo o CEO da Aernnova, Ricardo Chocarro, planeiam «avançar ainda mais nas operações das instalações e estabelecer Évora como um modelo na fabricação de aeroestruturas».

A Aernnova vai continuar, no Alentejo, a produzir componentes para serem usados por aeronaves da Embraer. Este será um acordo comercial a longo prazo. O negócio entre a Embraer e a Aernnova deverá ser fechado até Março e aguarda a aprovação das autoridades competentes.

Noticias Relacionadas