Con el patrocinio de:

A BWAW posiciona-se como um evento de referência no avanço da igualdade de género

O CZFB confirmou que haverá uma segunda edição a realizar de 2 a 4 de março de 2022

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Semana de Aceleração da Mulher de La Barcelona (BWAW), organizado pela Consorci da Zona Franca de Barcelona (CZFB) e pela Fundação Incyde das Câmaras de Comércio, concluiu hoje a sua primeira edição na qual se posicionou como um evento de referência para promover ativamente a igualdade de género na área empresarial e que também contribui para tornar Barcelona visível como cidade-chave para o desenvolvimento da nova economia. , mais sustentável e com padrões mais elevados em termos de paridade de género. Nesta linha, o CZFB confirmou que haverá uma segunda edição a realizar de 2 a 4 de março de 2022.

BWAW realizou hoje o evento de encerramento presidido por Jaume Collboni, o primeiro tenente presidente da Câmara Municipal de Barcelona, acompanhado por Pere Navarro, Delegado Especial do Estado ao CZFB, Blanca Sorigué, Diretor-geral do CZFB, José Luis Bonet, presidente da Fundación Incyde e da Câmara de Comércio Espanhola, e Verónica Ollé, secretário-geral da RTVE.

Collboni queria salientar que “é evidente que, sobretudo, as carreiras técnicas ou a indústria tecnológica e digital, em que Barcelona quer ser uma referência, há desigualdades significativas. A igualdade entre homens e mulheres é um requisito fundamental e não apreciar o talento feminino é dispendioso e cada vez mais empresas estão cientes disso. De todas as pessoas que trabalham hoje na área tecnológica na cidade apenas 8% são mulheres, pelo que é importante para a colaboração público-privada que nos permita aproveitar o potencial de todos os talentos que temos na cidade, de diferentes géneros, idades e proveniência”.

Na mesma linha, Navarro tem insistido que “A economia não pode passar sem o talento feminino, e as mulheres podem trazer uma visão diferente para a gestão empresarial para que, entre todos, possamos adicionar mais” e tem apreciado a “colaboração de todos os oradores, parceiros e participantes do evento que já fizeram da BWAW um espaço para partilhar experiências e propor ações e iniciativas que nos acompanham neste caminho para eliminar barreiras e promover a igualdade de género”.

Por seu lado, Bonet notou que “a crise trouxe-nos muitos problemas, mas também muitas aprendizagens. Temos diante de nós uma grande oportunidade de transformar a nossa sociedade. E nesse processo de mudança e renovação, as mulheres têm de desempenhar um papel de liderança. A resiliência e a empatia são duas qualidades associadas às mulheres e são agora de vital importância para a reconstrução económica e social que enfrentamos após a pandemia”.

De acordo com Ollé“O papel de um meio de comunicação social nesta matéria é essencial e nós, enquanto rádio pública, colocamos todos os meios à nossa disposição para dar visibilidade à igualdade de género. Do Instituto RTVE desenvolvemos um guia para a igualdade como uma ferramenta para abordar conteúdos relacionados com as mulheres para escapar a estereótipos e abordar situações de desigualdade com o objetivo de transcender a mensagem”.

ESTUDO DA IGUALDADE DE GÉNERO NO POLÍGONO DA ZONA FRANCA DE BARCELONA

No âmbito do evento, a Consorci da Zona Franca de Barcelona apresentou um estudo realizado em conjunto com o GESOP com o objetivo de analisar a situação das empresas do Polígono da Zona Franca de Barcelona no domínio da igualdade de género.

Sublinha que 74% dos trabalhadores são homens contra 26% das mulheres. No entanto, há um maior número de mulheres com formação universitária, 31% contra 26% dos homens, embora em cargos de gestão o género masculino continue a dominar. Neste sentido, do número total de trabalhadores nesta área industrial, 18% são homens em cargos de liderança, enquanto a gestão das mulheres está limitada a 12%. Além disso, a única área em que o género feminino predomina nas empresas de poligágono é entre os funcionários administrativos.

Em termos de horas de trabalho, a percentagem de mulheres a trabalhar a tempo parcial (9,4%) duplica o macho (5,7%). Os homens, por seu lado, realizam turnos mais variáveis e noturnos.

Embora 93% das empresas afirmam estar bem ou bastante comprometidas com a igualdade de género, menos de metade tem um plano para a igualdade e apenas um terço tem um protocolo de prevenção do assédio sexual mais comum entre as grandes empresas.

MULHERES ANTES DA DÉCADA PARA A AÇÃO

Nas últimas sessões do evento, a BChange reuniu Maria Peña, CEO da ICEX, Clara Arpa, Presidente do Pacto Global das Nações Unidas para Espanha, Riera Imaculada, Diretor-geral da Câmara de Comércio Espanhola e Vice-Presidente da Fundación Incyde, e Jorge Brown, Vice-Presidente da Fundação de Liderança Avançada, com Pere Buhigas, diretor da RTVE Catalunha como moderador a abordar Mulheres no Rosto da Década para a Ação.

Durante a sessão, Clara Arpa referiu que “desdeo Pacto Global das Nações Unidas acabamos de apresentar a estratégia 2021-2023 em que damos especial prioridade à perspetiva económica social e ambiental“. Arpa também notou que “os jovens ainda não pensam na chave da sustentabilidade. É hora de consumir e produzir de forma sustentável.”

Por outro lado, na vertical BSocial, Miguel Lorente,professor deMedicina Legal e assessor do Vice-Chanceler para a Igualdade, Inclusão e Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Granada, explicou que ” encontramos barreiras ideológicas que evoluíram ao longo do tempo, mas que mantiveram a desigualdade e a exclusão. É importante trabalhar na educação e na sensibilização, bem como desenvolver uma visão crítica menos permissiva e baseada na informação para combater o ataque que as políticas de igualdade estão atualmente a sofrer” .

Por seu lado, Magdalena Valerio,antiga ministra do Trabalho e Presidente da Comissão do Pacto de Toledo do Congresso dos Deputados, sublinhou que é essencial começar por alcançar a corresponsabilidade no domínio interno, uma vez que as mulheres continuam a assumir uma elevada percentagem de tarefas domésticas, o que é uma sobrecarga e tem consequências muito importantes na nossa carreira profissional. Para alcançar a igualdade no mercado de trabalho, precisamos de um compromisso público-privado para avançar e não recuar em contextos de crise como o atual“.

A mesa redonda no Liderança feminina nas administrações reuniu as mulheres em importantes posições de gestão de infraestruturas, como o Diretor-geral do CZFB, Blanca Sorigué, o presidente do Porto de Barcelona, Merco Conesa, diretor do Aeroporto josep Tarradellas Barcelona – El Prat, e Esther Mateo, Diretor-Geral de Segurança de Processos e Sistemas Corporativos na ADIF.

Neste contexto, Sorigué destacou “a importância do desaparecimento dos tetos de vidro para que a percentagem de mulheres presentes no conselho de administração das grandes empresas continue a aumentar. Neste sentido, a partir do CZFB estamos totalmente comprometidos com os ODS das Nações Unidas e incorporamo-los na nossa abordagem estratégica.

Por seu lado, Conesa tem insistido em a importância de quebrar o teto de vidro e ganhar o respeito da equipa ao lidar com posições de gestão.” “O mundo globalizado requer territórios que possam prestar múltiplos serviços e a área de Barcelona tem um hub muito poderoso com o porto, aeroporto, zona franca e a ligação fornecida pela Adif. Estamos perante uma aliança estratégica que devemos valorizar“,conclui-se.

PERFIL DOS PARTICIPANTES

Nesta primeira edição da BWAW mais de 2.200 pessoas de toda a Espanha participaram praticamente, das quais 70% foram mulheres e 30% homens, alcançando assim o objetivo do CZFB de alcançar uma ampla audiência e com representação de ambos os sexos. Além disso, a faixa etária predominante entre os seguidores da BWAW (51%) Tem 26 a 45 anos.

Todas as sessões do evento foram transmitidas a partir dos rts da RTVE Catalunya em Sant Cugat del Valles e RTVE madrid e têm sido capazes de seguir a partir do site da BWAW. Assim, a CZFB e a Fundação Incyde, em colaboração com a Consell de la Dona de la Zona Franca, criaram um evento de referência para promover a interação para promover soluções e projetos que gerem progressos na igualdade de género.

A primeira edição da BWAW tem parceria com o CaixaBank, o Observatório das Mulheres, Negócios e Economia da Câmara de Comércio e Mulher de Barcelona.

Noticias Relacionadas

Como chegámos a uma «Tempestade Perfeita»?

O que é uma «Tempestade Perfeita»? Normalmente quando utilizamos esta expressão estamos a descrever um fenómeno meteorológico que foi criado graças a confluência de vários

Deixe um comentário