Espanhol Português

A Mercadona, empresa de supermercados espanhola que entrou em território nacional no ano passado, apresentou os seus resultados líquidos referentes ao período de 2019 com um aumento tanto na receita como nos espaços físicos dos quais são proprietários. Com um “plano de transformação” que pretende transformar o grupo numa força motriz tanto na vertente e económica como social.

Com 90.000 colaboradores, o ano de 2019 ficou marcado para a Mercadona com a entrada em território português. Com 10 lojas abertas em Portugal, e com a abertura prevista de um espaço em Lisboa em 2022, o grupo de Juan Roig teve neste primeiro ano uma facturação total superior a 32 milhões de euros. Só em impostos, pagaram 11 milhões de euros.

Para consolidar o seu desenvolvimento e lançar as bases da Mercadona do futuro, a empresa vai continuar a promover o seu plano de transformação até 2023 e, para esse fim, planeia investir 1.800 milhões de euros em 2020, que serão utilizados principalmente para abrir novos supermercados, 69 em Espanha e 10 em Portugal, renovar 160 supermercados para adaptá-los ao Novo Modelo de Loja Eficiente (Loja 8) e continuar a desenvolver o Projecto “Frescos Global”. Para continuar a promover estes e outros projectos, estima-se que serão criados 2.000 empregos, tanto em Portugal como em Espanha.

Sobre estes ganhos, o presidente da Mercadona relembra que “em 2019, tendo o ‘Chefe’ sempre como farol, continuámos a consolidar a brutal transformação na qual a Mercadona está imersa, alcançando um marco histórico para todos os que fazemos parte da empresa, a nossa internacionalização para Portugal em Julho passado. Tudo isto, assim como os desafios que ainda temos pela frente, não poderia ser alcançado sem a verdadeira força da transformação da Mercadona: as 90.000 pessoas, 900 delas em Portugal, que com o seu talento, esforço e liderança estão a construir uma empresa cada vez mais consciente de que o seu papel é contribuir para melhorar o ambiente social e económico, produzindo de forma eficiente e responsável para gerar prosperidade partilhada”.

Para além do desenvolvimento económico, um dos grandes compromissos da Mercadona envolve um crescimento sustentável graças a um modelo de negócio responsável. Para tal, em 2019 foi realizado um investimento económico de 44 milhões de euros para a implantação de uma maior eficiência energética, de gestão de resíduos ou numa redução de plásticos na ordem dos 25%. As embalagens usadas nos produtos a venda na loja deverão ser recicláveis ​​ou compostáveis.