Espanhol Português

No último ano e meio, as cinco maiores empresas de construção civil a actuar em Portugal conseguiram contratos no valor de mil milhões de euros. Estas empresas, a FCC, Ferrovial, Dagrados, Sacyr e a Acciona, representam 70% do mercado nacional.

As obras públicas em Portugal têm um custo de 1431 milhões de euros, mas apenas 444,8, o que equivale a 30% do mercado, foi parar às mãos de empresas portuguesas. Estes valores podem ser vistos no Portal Base e contabilizam todas as obras públicas com um custo superior aos sete milhões de euros.

Concursos para obras públicas aumentaram

Mesmo no meio de uma pandemia, até ao mês de Maio o número de concursos para obras públicas aumentou para 24% face ao mesmo período do ano anterior. Segundo o barómetro das Obras Públicas da Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN), o valor destes concursos é o maior desde 2010 mas houve um recuo, de 30%, no volume de empreitadas assinadas e que tem um valor de 627 milhões de euros.

As grandes obras públicas, que vão ajudar na dinamização económica, serão essenciais no Programa de Estabilização Económica e Social apresentado por António Costa e que tem como objectivo relançar a economia após a crise provocada pelo coronavirus. Esta linha de investimento público, que está orçada em 523 milhões de euros, será canalizada para obras em escolas (a principal delas é a retirada do amianto dos telhados), equipamentos sociais, reabilitação habitacional e no combate aos incêndios. Segundo este programa, todas as obras previstas têm condições económicas para serem lançadas de uma forma imediata e realizadas nos próximos meses.