Academias de Cinema de Espanha e Portugal discutem o seu futuro em Valência

Também participarão as academias aragonesa, catalã e asturiana

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Valência acolhe entre 28 de fevereiro e 1 de março o III Encontro das Academias de Cinema de Espanha e Portugal, no qual especialistas de ambos os países analisarão o papel destas entidades para além da atribuição de prémios, bem como os novos formatos audiovisuais.

Após das anteriores edições na Galiza e em Aragão, a Comunidade Valenciana acolhe na sua capital esta reunião de academias para a partilha das diferentes formas de funcionamento de cada uma destas associações, bem como os problemas de financiamento, patrocínios e configuração das bases e a realização dos prémios anuais.

Este encontro das academias realiza-se no auge da sétima arte para a Comunidade Valenciana em geral, e para Valência em particular, convertido em palcos de filmagens de muitos filmes e com o pedido da cidade para acolher em 2021 a Gala dos Goya.

O evento em Valência, organizado pela Academia Valenciana do Audiovisual, conta com a presença de representantes da Academia Portuguesa de Cinema, bem como de Aragão, Catalunha e Astúrias, da Associação de Escritores e Escritores do Cinema da Andaluzia (ASECAN) e a Fundação de Cinema em Aula do Cinema, Coleção Josep María Queraltó.

O III Encontro das Academias de Cinema de Espanha e Portugal terá início na sexta-feira, 28 de fevereiro, com a chegada à cidade dos convidados e a sua receção pela organização, enquanto o fim de semana iniciará o programa de atividades previstas para a nomeação.

Este evento das academias de cinema é patrocinado pela Câmara de Valência e tem a colaboração do Centro Cultural La Nau da Universidade de Valência, do Instituto Valenciano de Cultura (ICV) e do Escritório de Cinema de Valência.

Noticias Relacionadas

Como chegámos a uma «Tempestade Perfeita»?

O que é uma «Tempestade Perfeita»? Normalmente quando utilizamos esta expressão estamos a descrever um fenómeno meteorológico que foi criado graças a confluência de vários

Deixe um comentário