Andaluzia e Algarve vão dispor de rede de veículos elétricos para fortalecer turismo

As universidades de Huelva e do Algarve participam da iniciativa

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

As regiões transfronteiriças de Andaluzia (Espanha) e Algarve (Portugal) estão a trabalhar numa rede de veículos elétricos para as zonas turísticas do litoral dos dois países, segundo investigadores das universidades de Huelva e do Algarve.

Designado como T2UES – Transporte Turístico Urbano Elétrico Sustentável, o projeto pretende “promover a indústria do transporte elétrico movido por fontes de energia renovável” nas regiões de Andaluzia e do Algarve, afirmou José Manuel Andújar, investigador da Universidade de Huelva, em declarações à agência Lusa.

Por outro lado, “propõe-se incentivar a instalação de uma rede de transporte ligeiro, ecológico e intraurbana, para mitigar os problemas de sobrepopulação nos períodos turísticos de verão”, indicou o académico de Huelva, referindo que a ideia é “fortalecer o setor turístico” como atividade económica compatível com o meio ambiente e de vanguarda no transporte sustentável.

“Essas duas regiões são, no seu conjunto, destinos turísticos de primeira importância, tendo em 2018 registado mais de 24 milhões de dormidas”, apontou.

Cofinanciado pelo programa de cooperação transfronteiriça Interreg VA Espanha-Portugal (POCTEP), o projeto T2UES, além de potenciar o desenvolvimento tecnológico de uma rede de veículos elétricos, aposta em pontos de carregamento inteligentes e ambientalmente sustentáveis, para equipar as áreas turísticas de Andaluzia e do Algarve.

Iniciada em janeiro de 2018, a iniciativa transfronteiriça decorre até ao final de 2021, com um investimento total de cerca de 936 mil euros, dos quais 702 mil euros assegurados por financiamento comunitário do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

Noticias Relacionadas

Como chegámos a uma «Tempestade Perfeita»?

O que é uma «Tempestade Perfeita»? Normalmente quando utilizamos esta expressão estamos a descrever um fenómeno meteorológico que foi criado graças a confluência de vários

Deixe um comentário