Con el patrocinio de:

Ministros da Economia dos 22 países da Ibero-América se reúnem para promover a recuperação

Os Ministros dialogaram sobre as necessidades financeiras da região

Comparte el artículo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Ministros(as) e Vice-Ministros(as) da Economia e da Fazenda dos 22 países da Ibero-América, reunidos hoje de forma virtual, fizeram um apelo pela redução das lacunas de financiamento entre as economias avançadas e emergentes, fortalecer os bancos de desenvolvimento e melhorar as condições de endividamento que enfrentam alguns países da região, com o objetivo de promover a recuperação socioeconômica da crise de COVID-19.

O Presidente da República Dominicana, Luis Abinader, inaugurou a reunião juntamente com a Secretária-Geral Ibero-Americana, Rebeca Grynspan, e o Ministro da Fazenda dominicano, José Manuel Vicente.

Os Ministros da Economia e da Fazenda dialogaram sobre as necessidades financeiras da região – a mais afetada do mundo pela pandemia -, o equilíbrio entre receitas e despesas e a sustentabilidade da dívida pública.

Também participaram do diálogo representantes de organismos multilaterais: o diretor para o Hemisfério Ocidental do Fundo Monetário Internacional (FMI), Alejandro Werner; o vice-presidente de países do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Richard Martínez, e o vice-presidente do Banco Mundial para a América Latina e o Caribe, Carlos Felipe Jaramillo.

Os ministros e as ministras acordaram uma Declaração na qual instaram a:

“Promover, no âmbito do FMI, o debate sobre o desenvolvimento de alternativas para canalizar voluntariamente os Direitos Especiais de Saque dos países que consideram que não irão necessitá-los para os países que sim necessitam, incluindo os países de renda média. Promover a análise das capitalizações dos bancos multilaterais de desenvolvimento da América Latina e do Caribe. Considerar o financiamento adicional em condições brandas para projetos de desenvolvimento sustentável, como saúde e água potável, para os países mais vulneráveis ​​da região. Apoiar a iniciativa lançada pelo Clube de Paris e pelo G-20 para o estabelecimento de um marco comum para a negociação coordenada de tratamentos de alívio da dívida, que permita uma resposta adequada ao sobre-endividamento derivado da pandemia de COVID-19″.

“Nunca antes enfrentamos desafios tão complexos que exigem uma ação coordenada e atuar como uma só voz. A Ibero-América conta com a força de seu povo e a determinação de seus governos para não ser apenas mais um ator no tabuleiro global, mas ser um ator de mudança com voz própria e com força suficiente para transformar o mundo”, disse o presidente Abinader.

Por sua vez, Rebeca Grynspan afirmou: “Se conseguirmos uma solução, poderemos aproveitar esta conjuntura para multiplicar os recursos disponíveis para os nossos países e seremos capazes de fechar as lacunas desta recuperação desigual e lançar as bases de uma normalidade que não seja apenas nova, mas também melhor”.

A Declaração da VII Reunião Ibero-Americana de Ministras e Ministros da Fazenda e da Economia dá continuidade ao acordado na XXVII Cimeira Ibero-Americana de Chefes de Estado e de Governo, realizada em Andorra, em abril.

O encontro de hoje foi a primeira reunião promovida pela República Dominicana como Secretaria Pro Tempore da Conferência Ibero-Americana. O país será sede da próxima Cúpula Ibero-americana em 2022, cujo lema será “Juntos por uma Ibero-América justa e sustentável”.

Noticias Relacionadas

Como chegámos a uma «Tempestade Perfeita»?

O que é uma «Tempestade Perfeita»? Normalmente quando utilizamos esta expressão estamos a descrever um fenómeno meteorológico que foi criado graças a confluência de vários

Deixe um comentário