Español Português

Na Reunião Preparatória XXVII de Chefes de Estado e de Governo de Andorra, em novembro de 2020, todos os países da Ibero-américa foram representados e de acordo com as palavras do Secretária-Geral Ibero-americano Rebeca Grynspan, houve um “espírito construtivo e diálogo”, apesar das dificuldades na região.

Os países manifestaram seu interesse em continuar a trabalhar na Conferência Ibero-Americana “apesar das diferenças, contando com o que nos une. Isto é o que caracteriza o espaço ibero-americano e que hoje é reforçado”.

Ministros ibero-americanos concordaram em criar o Dia da Ibero-américa, que será comemorado em todos os países da região, todos os anos, em 19 de julho. Data de assinatura em 1991 da primeira declaração dos chefes de Estado da Ibero-américa em Guadalajara (México).

Como resultado da reunião, 48 pontos foram acordados para abordar questões como: inovação, futuro do trabalho, sustentabilidade ambiental, cooperação Sul-Sul, igualdade de gênero, educação e conhecimento, cultura, migração e desenvolvimento, coesão social, desenvolvimento, economia e turismo, administração pública e justiça.

Entre os temas mais importantes, vale ressaltar que na Cimeira Ibero-Americana de 2020, em Andorra, a Estratégia Ibero-Americana de Inovação será aprovada e novos programas ibero-americanos serão desenvolvidos: Prevenção da Violência de Gênero e do Instituto Línguas indígenas ibero-americanas.

Por outro lado, a região reforçará a cooperação em matéria de ambiente. Em 2020, os ministros do Meio Ambiente da Ibero-Americana se reunirão pela primeira vez desde 2009 para promover uma agenda ambiental para a região. Bem como foi aprovada a candidatura da República Dominicana para sediar a Cúpula Ibero-Americana XXVIII de 2022.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Josep Borrell, destacou hoje o “esforço extraordinário” Andorra fez para organizar a Cimeira Ibero-americana. Borrell afirmou que está sendo uma reunião “muito política, embora não estava previsto”, de acordo com a Agência de Notícias Andorrana (ANA).

A este respeito, afirmou que “num momento em que a Ibero-américa está passando por uma situação complicada”, como diferentes países experimentam dificuldades de ordem pública ou desestabilização de governos e alguns, como Bolívia, Cuba e Venezuela têm aproveitado o evento para dar o seu ponto de vista.

O ministro também apontou que não é “fácil” trazer representantes de todos os países ibero-americanos para Andorra precisamente por causa dessa situação política na região.

Quanto ao acordo de parceria que Andorra está negociando com a União Europeia, Borrell disse que agora em sua nova atribuição como chefe da diplomacia europeia, o ministro espera que possa “ajudar que o acordo estiver pronto em breve”.