Espanhol Português

A quinta edição da Mostra Ibérica de Artes Cénicas (MAE) vai ser celebrada em Cáceres de 17 a 19 de Novembro e será organizada pelo Centro de Artes Cénicas e Música (CEMART), a Conselheria da Cultura, Turismo e Desportos e a Associação de Gestoras e Gestores Culturais da Extremadura (AGCEX). Também conta com a colaboração dos Conselhos Provinciais de Cáceres e Badajoz, Extremadura Avante, o Grande Teatro de Cáceres, a Câmara Municipal de Cáceres, Cofae e Inaem.

A responsável pela Cultura, Turismo e Desporto, Nuria Flores, explicou durante a apresentação da celebração desta exposição, Cáceres voltou a ser uma vitrine do teatro regional, nacional e português no ano mais complicado e crítico que o sector vive devido a pandemia do coronavírus.

A conselheira frisou que este ano, excepcionalmente devido à situação de saúde, os programas não serão abertos ao público em geral, embora alguns grupos do sector, como programadores, possam participar.

A Mostra, que se realiza pela primeira vez na qualidade de membro da Coordenação de Feiras de Artes do Espectáculo de Espanha (Cofae), apresenta este ano 14 espectáculos de teatro, circo e dança, sendo 8 produções da Extremadura, uma portuguesa e cinco de da Comunidade Valenciana, Andaluza, de Castela e Leão e de Madrid, que promovem encontros para facilitar a contratação de produções de várias disciplinas e incluem um workshop para melhorar as estratégias de palco.

As actividades vão se desenvolver no Gran Teatro de Cáceres, no Complexo Cultural de São Francisco e o Palácio dos Congressos, onde vai acontecer um exaustivo protocolo de prevenção e segurança sanitária.

A Mostra Ibérica de Artes Cénicas (MAE) celebrar-se, desde Novembro de 2016, em Cáceres e tem como objectivo de promover as artes cénicas profissionais nacionais e internacionais, prestando especial atenção a companhias da Extremadura e de Portugal. Esta mostra reúne profissionais das artes cénicas de todas as áreas, programação, distribuição, montagem ou representação. A esta edição apresentaram-se 439 propostas artísticas, 388 nacionais, 41 extremenhas e 10 internacionais, participando 240 profissionais. Sobre estes valores, a conselheira destacou a “excelente saúde” desta mostra.